Olinda

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Município de Oh Linda
"Cidade da dancinha ridícula (frevo)"
Bandeira de Olinda.png
Bandeira
Aniversário 12 de março
Fundação 12 de março de 1535
Gentílico olindense
Localização
Localização de Oh Linda
Estado Bandeira de Pernambuco Pernambuco
Região metropolitana Favelas de Recife
Municípios limítrofes Paulista, Recife
Distância até a capital 0 Km km
Características geográficas
Área Não disponível
População Não disponível
Idioma analfabetês
Clima Não disponível
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Cquote1.png Experimente também: Recife Cquote2.png
Sugestão do Google para Olinda

Ofeia é um bairro separatista comunista de Recife que de tão ruim alguns consideram ser um município próprio. Seu nome se deve a expressão utilizada pelo fundador zoófilo da cidade Duarte Coelho, quando gritou "Oh! Linda" ao avistar uma jumenta cagando no mato. Decidiu então construir sobre as fezes da jumenta a prefeitura da cidade-bairro de Olinda. Uma curiosidade diz respeito ao Cometa Olinda, recebeu esse nome por causa do desejo dos astrônomos brasileiros de mandar a cidade de Olinda para o espaço.

História[editar]

Olinda foi fundada para servir de defesa às invasões holandesas, pois estes estavam tão chapados de dorgas que se convenceram que Olinda era a melhor cidade do Brasil. Como as suas fortalezas foram construídas por engenheiros baianos, os holandeses facilmente conquistaram a cidade, de modo que está descrito em relatório oficial: "As fortificações de Olinda são uma porcaria. Portugal como sempre é porco no que faz, essa cidade foi fácil conquistar mas vai ser de difícil defesa." pois para dificultar as invasões holandesas, a única coisa que os portugueses fizeram foi construir Olinda lá na puta que pariu em um local longínquo e de difícil acesso, o problema é que até hoje os recifenses que vão curtir o carnaval tem que passar por um caminho completamente fudido deveras dificultoso.

Um dia, quando deu na telha da coroa portuguesa no Brasil eles decidiram reconquistar Olinda que a muito estava abandonada pelos holandeses que não haviam encontrado na cidade clima ideal para plantar maconha, pois a temperatura extremamente elevada não permitia. Assim ocorreu a Insurreição Pernambucana numa tentativa frustrada de expulsar todos drogados e noiados da região, um projeto falho que expulsou apenas os holandeses.

Sob o governo brasileiro houve uma disputa para decidir qual seria a capital de Pernambuco, decidiu-se que Olinda era ruim demais, uma célebre declaração de Dom Pedro diz "Se Recife já é ruim, Olinda então..." tal litígio deu início à Guerra dos Mascates, que recebeu esse nome devido a seus combatentes não pararem de mascar fumo.

Uma vez que os ânimos foram calmados, e os times de futebol se firmaram em Recife, Olinda se recolheu à sua insignificância de "cidade-bairro", focando-se apenas na produção de bonecos cabeçudos e dancinhas sem sentido com guarda-chuvinhas nada práticos.

Economia[editar]

As principais atividades econômicas de Olinda é a venda de papel machê para a confecção de bonecos gigantes, venda de cerveja quente para foliões, venda de guarda-chuvas coloridos e comercialização de ervas medicinais(Hemp). no carnaval as vendas de entorpecentes resultantes da mistura química de clorofórmio + álcool(resultando no vulgo loló) aumentam potencialmente a economia da cidade nesse período, fazendo com que todos os seus moradores possam ficar mais um ano sem trabalhar.

Bairros[editar]

A cidade de Olinda é também conhecida por seus mais de 487 bairros. Só que a própria população desconhece a maioria. Atualmente, só estes possuem maior fama:

  • Bairro Novo - Boa Viagem de Olinda, só que não, já que é mais podre que um chiqueiro. É onde se concentra todo o comércio válido da cidade, ou seja, onde só tem loja cara para caralho e ninguém da cidade vai comprar lá mesmo.
  • Casa Caiada - Lugar pra quem é esnobe, mas não tem dinheiro pra morar em Bairro Novo. Lá é onde tem a "praia do Oi", já que toda a população pobre de Pernambuco, vindo até dos cafundós de Orobó, vão para lá e sempre rola um reencontro e muito "oi" pra lá e pra cá. Lá também é onde tem a maior concentração de hospitais e clínicas da cidade, ou seja, se tiver morrendo, você não será atendido, já que lá nenhum atende SUS nem plano de saúde de pobre. Lá também está localizado o Shopping Patteo, o shopping mais mal localizado do universo, já que fica longe até das paradas de ônibus, num escondido do caralho e com um terreno baldio que era do quartel do exército completamente inútil na frente.
  • Rio Doce - O lugar para onde todos os ônibus vão, mesmo sendo um fim de mundo do caralho que ninguém curte viver.
  • Ouro Preto - O mato que fica em volta da antena da Globo. Famoso mais pelo terminal da PE-15, que nem devia ter esse nome, já que o terminal do Pelópidas Silveira em Paulista é na mesma rodovia.
  • Ilha do Rato de Santana - Maior favela bairro popular da Via Farinha Láctea.
  • Jardim Atlântico - Já não existe mais. Virou tudo favela, prédios abandonados e casa de putas da pior qualidade do Photoacompanhantes.
  • Jardim Fragoso - O piscinão natural de Olinda, onde também está a zona rural da cidade, que tá mais pra um monte de mato perdido no tempo e espaço;
  • Cidade Tabajara - Também chamado de cu de Olinda, só se sabe que existe porque quem vai pra Paulista pela PE-15 tem que passar por esse pardieiro;
  • Peixinhos - Um monte de nada em meio a uma avenida com nome de presidente gringo só pra parecer chique. Só é famoso por ter uma feira do troca perfeita para descolar bicicletas roubadas ou uma 38 velha para roubar geral. O nome "Peixinhos" é porque a avenida principal, bem como sua paralela que vai pra Jardim Brasil, vivem fazendo os moradores dos dois bairros parecerem realmente peixinhos.
  • Amparo - Embora tenha um monte de igrejas, só lembram dessa porra no carnaval de Olinda.
  • Bonsucesso - Mesma coisa do acima, até tinha uma bandinha lá chamada Bonsucesso Samba Clube que tentava levar a fama do bairro adiante, mas deu em nada com porra nenhuma.
  • Carmo - O bairro mais famoso de Olinda, também chamado de "Sítio Histórico", e normalmente em guias turísticos é o único bairro que realmente é relatado em detalhes, como se literalmente o resto de Olinda nem existisse ou partes dos outros bairros visitados pelas excursões fossem só umas colônias do Carmo.
  • Varadouro - Conhecido só por ter um largo que faz qualquer motorista ter um torcicolo ao dobrar, e um mercado público que não vende mais porra nenhuma por lá, é também conhecido como "entulho do Carmo", já que vive praticamente como um parasita real do bairro acima.
  • Bultrins - Um buraco no meio de Olinda que só é lembrado porque foi por lá que o Chico Science virou presunto.
  • Aguazinha - Bairro só famoso pelos bares e por bordéis de putas, e passar perto da 2ª Perimetral (também conhecida como rodovia das mulheres cornas, de tanto motel e puta por lá presentes).
  • São Benedito - Só lembram que essa porra existe por conta do terminal de Xambá.
  • Passarinho - O cu de Olinda, e sei lá como essa porra tem alguma fama só por ser a única ligação da cidade com a BR-101, ou seja, grandes merdas.
  • Sítio Novo - Também conhecido como "Campo Grande disfarçado";
  • Santa Casa - Nem sei onde fica isso.
  • Guardalupe - Bairro que só aparece em mapas de lista telefônica;
  • Ilha do Maruim - Pelo nome já dá pra ver que é um buraco;
  • Milagres - Um bairro que é um milagre sair dele vivo. Tem só uma prainha e conectado com a Praia Del Chifre, colada ao antigo Istmo de Recife, que foi recortado justamente porque o povo recifense tava com nojo de ver o povo de Milagres rondando por lá.
  • Santa Tereza - Resto do resto do Varadouro.
  • Vila Popular - Só famoso por ter as favelas do V8 e do V9, ou seja, coisa boa não é.
  • Jatobá - Mais um bairro de nome estranho que só é conhecido por ter muitos sítios por lá.
  • Águas Compridas - Mesma coisa do de cima, só que mais pobre e acabado.
  • Caixa D'Água - Me recuso a linkar esse bairro, olha que nome ridículo! Além disso, só é lembrado por ter um monte de morro e por ter um tal de Córrego do Abacaxi, ou "Córrego do Abaixaqui".

Atualmente, novas terras foram criadas misteriosamente na cidade de Olinda. Segundo fontes confiáveis que estavam bebendo ali no Pior Galeto de Olinda, o bairro Caenga na verdade não existe. O que de fato, trata-se de um enorme vórtex que suga todos os ônibus vermelhos, e os vomita verdes. Daí vem a notável diferença entre os ônibus Caenga (ou Quenga/Rio Doce. Há também versões que indicam que Caenga fica na verdade no Acre, o que faz da linha Caenga/Rio Doce a mais nova recordista em percurso mais longo, ficando na frente do atual Rio Doce/Piedade(que percorre quase todo o litoral pernambucano) e do Rio Doce/CDU(que se chama assim pois não queriam colocar Rio Doce/CU ->Cidade Universitária).

Cultura[editar]

Olinda em uma tarde de terça-feira comum e tranquila na cidade.

Olinda, apesar da bagunça caótica, é considerada uma das cidades mais aculturadas do estado de Pernambuco, uma vez que sociólogos renomados dizem que até funk carioca é cultura, então mijar na rua, pegar AIDS, ter pessoas pegando na sua bunda, feder-se em cerveja e suor alheio e se esfregar em bonecos gigantes enquanto vê quengas passando pequenos guarda-chuvas por baixo das pernas, tudo isso também pode ser considerado cultura, o mais genuíno carnaval de Olinda. Outra marca interessante de Olinda é que após proibirem de tocar música baiana em seu carnaval (que ocorre de 1 de janeiro a31 de dezembro) só existe uma única musica que é incessantemente tocada de vez em quando quando passa uma banda de frevo, essa musica é aquele frevo que faz assim: paranranranranran paranranranranran paranranranranran paranranranranran paranranranranrananananana

Transportes[editar]

Olinda tem ruas e avenidas de primeiro mundo, como por exemplo a Perimerdal Perimetral Norte

O metrô de Olinda é mais um conto fantasioso que todos nós sabemos que jamais existirá para a alegria de todos os habitantes da cidade. Sobrando apenas opulentes avenidas esburacadas, estreitas e sem calçadas que servem apenas para foliões e nunca para carros ou ônibus. As calçadas são feitas de tijolos de modo que pequenos vãos entre os encaixes servem de escoamento perfeito para a urina das pessoas soltas nas ruas da cidade durante a época de festas (todo dia).

Uma menção especial à PE-015, única rota de fuga da cidade, que precisa passar no meio das favelas adjacentes de Abreu e Lima e Paulista.

Turismo[editar]

O destaque da cidade de Olinda sem dúvidas é o seu carnaval, no qual aposta todas suas fichas para atrair turistas incautos que não tem ideia na cilada em que estão caindo. Devido a uma campanha de marketing agressivo, na qual olindenses estão sempre limpos, felizes e dançantes, o turista se vê compelido a visitar a cidade em seu carnaval que acontece nos períodos que vão de 1 de Janeiro a 31 de dezembro. Como o povo da cidade sabe que vão ser pobres de qualquer maneira, trabalhando ou não, eles dedicam entupir as ruelas da cidade fantasiados coloridos dançando frevo com bonecos gigantes, assim pode ser pobres miseráveis fedidos, mas pelo menos felizes e dançantes.

O Carnaval de Olinda é famoso em todo o mundo, pois é o único do mundo aonde turistas gringos podem comer putas de graça a vontade. Cerveja quente e muito cotovelo na cara também são marcas únicas do Carnaval de Olinda.

O Governo do Estado de Pernambuco junto a Prefeitura Municipal de Olinda adverte por meio deste que se ocasião de você ser mulher com peitos é preferível que deixe estes em casa como meio evitar escoriações nos mamilos causadas por beliscões e investidas em geral.