Desnotícias:Mesquita no Afeganistão voa pelos ares

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

CONDUZ, Emirado Talibã Invadido

Pelo visto, a oração foi forte mesmo!

Nesta maravilinda sexta-feira (08/10), uma mesquita xiita foi explodida em uma cidade de nome estranho (Kunduz, é?) no Afeganistão deixando 143 pessoas feridas e o resto eu não sei porque não estava lá. Apesar de estarem tentando enganar com o papinho que mudaram e essas histórias para boi dormir, os talibãs assumiram a responsabilidade de tal baderna e provavelmente foram eles que mandaram bombardear a mesquita porque decerto algo lá dentro não era do agrado deles, como sempre.

Tudo aconteceu durante a oração do meio-dia, estavam lá os xiitas todos com a testa no chão e, do nada, do nada mesmo, tipo, em questão de um pum, ouviu-se um estrondo, vindo de algum lugar que ninguém quis explicar direito porque o que importa é qual filho da puta, dizem que foi um homem-bomba, fez isso e não se foi onde Judas perdeu as botas. Antes mesmo desse ataque com esta mera mesquitinha, noutra cidade chamada Cabul (se lembra?), palco de desavenças piores, uma mesquita também havia virado brinquedo de terrorista.

E o povo, que ama ver gente ser mutilada, postaram várias fotos da mesquita após a explosão, mostrando os corpos ensanguentados das pessoas caídos no chão. Ainda bem que era no chão e não no teto. Testemunhas que estavam lá descreveram cenas atrozes, uns descreveram que viram a explosão, já outras nem viram porque eram cegas, enfim, mais um dia normal no Afeganistão. E olha que até agora ninguém sabe quem foi o culpado, mas os inimigos dos talibãs, o Estado Islâmico, entra pra lista de quem o Talibã quer arrumar briga. Apesar de ambos serem sulistas, digo, sunitas, as ideias de ditadura deles são parecidas, um quer matar sem parar e o outro também quer matar sem parar, por isso um bate de frente com o outro.

Fontes[editar]

Compartilhe
essa desnotícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram