VICE Keyd

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Final euro2004.jpg Este artigo é algo que o Houston Oilers aprovaria, se não tivesse deixado o Buffalo Bills virar um jogo que ganhava de 38-3 no intervalo...

Este é um artigo que pode te levar para o Lado Amarelo da Força. Se estiver perto de algum evento decisivo, não o leia, pois pode causar um FAIL épico.

Favela.gif HUEHUEHUEHUEHUE BR BR

Oxe, venha cá, este artigo da porra vem do Brasil! Só fala de futebol, come feijoada, exporta diplomatas, puxa o saco dos EUA, paga imposto pra caralho e põe a culpa no governo pela dificuldade de atendimento médico.


VIVO Keyd
EscudoKST2.jpg
Brasão
Nome Oficial Morto Vice
Mais conhecido como Vasco
Região Flag of Brazil.svg Bronzil
Outras informações sem graça
Quem auxilia essa merda Vivo (ah vá!)
O diamante do time Revolta
Time que mais odeia INTZ, INTZ Red, INTZ Gênesis, INTZ Orange e INTZ Segundona


Cquote1.png Não vale, eles tem coreanos! Cquote2.png
Oponente da Keyd iludido sobre Vivo Keyd
Cquote1.png Freguês. Cquote2.png
INTZ sobre Vivo Keyd
Cquote1.png Ainda não é mais vice que eu. Cquote2.png
CNB sobre Vivo Keyd
Cquote1.png Aff... Cquote2.png
CNB sobre Vivo Keyd em 2018
A VIVO Keyd é um time semi-profissional de esportes para virgens que possui um time de League of Legends e times quase totalmente secundários ou desconhecidos em outros jogos, como FIRE IN THE HOLE! e aquele joguinho que só os coreanos gostam, que iniciou no cenário de League of Legends desde 2012 e é famoso por atualmente não conseguir porra nenhuma durante esse tempo todo que disputa o campeonato.

No cenário de League of Legends[editar]

Começo[editar]

Em 2012, o time só vivia de campeonatos de StarCraft II, quando descobriu que apenas coreanos que prestavam nesse jogo, resolveram finalmente ir para o cenário de League of Legends, onde tentou disputar alguns campeonatos secundários, os quais acabou vencendo pela falta de times profissionais se é que existia naquele ano e ficou apenas nisso.

O sacodepancadismo em 2013[editar]

Já em 2013, o time da Keyd Stars disputou alguns torneios ainda secundários, até a criação de uma espécie primitiva do CBLOL, com o nome de Keyd Team, onde o time apenas serviu pra ser a putinha das putinhas e conseguiu o feito de perder todas as três partidas que disputou, ficando em oitavo na competição. Pela falta de profissionalidade naquele ano no cenário brasileiro de League of Legends no mesmo ano, é óbvio que não foi rebaixada, já que estavam querendo evitar a fadiga de uma criação de Circuito Desafiante.

Vinda de coreanos[editar]

Jogadores da Vivo Keyd frustrados por mais um vice-campeonato.

Em 2014, o time ficou puto com a vergonha de ficar em último, e resolveu tentar apelar com a compra de dois coreanos pseudo-famosos chamados Winged e SuNo, mas mesmo assim ainda disputou vários campeonatos amistosos, que o time da Keyd conta como título, já que são vários campeonatos secundários, até vir a Brazilian League, algo que estranhamente valia mais dinheiro que o próprio CBLOL do próprio ano, o qual acabaram vencendo, mas não provava nada e disputaram um campeonato que valia mais ou menos que anterior, mas a vaga pros Wildcards, o que acabaram tomando dois stomps da Kabum, sendo eliminados.

Primeiro ano de CBLOL atual[editar]

Em 2015, o time iniciou o primeiro ano de "criação" do CBLOL, tentou contratar mais dois coreanos pra substituir os outros que não deram certo, DayDream e Emperor, onde ficou em segundo na fase de grupos, perdendo apenas pra INTZ em um amistoso de par ou ímpar que decidia pra ver com quem ficava com a liderança, e até nisso a Keyd perdeu, mas fez uma campanha até que boa com 5 vitórias, 2 empates de encher linguiça e incrívelmente nenhum stomp, onde o time enfrentou a CNB nas semi-finais e venceu facilmente, enfrentando a INTZ na final, tudo apenas para levar seu primeiro stomp no campeonato, levando três seguidos, ficando com o primeiro vice na conta.

No segundo split, depois de descobrir que os próprios coreanos entraram apenas pra ganhar dinheiro do time brasileiro, o time da Keyd finalmente investiu em jogadores brasileiros, onde novamente ficou em segundo na fase de grupos, onde perdeu apenas pra novata INTZ Red, pelo método da mala preta que os salvou do rebaixamento, e a Rito Gomes sabendo disso, aplicou 2 pontos de punição pra Keyd, que serviram pra porra nenhuma, já que terminaram na mesma posição. O time da Keyd nos playoffs começou enfrentando a PaiN Gaming, no qual levou novamente um stomp da mesma, fazendo um duelo de terceiro lugar apenas pra encher linguiça (já que é uma região Wildcard mesmo) contra a G3nerationX e stompou a mesma, ficando com um inútil terceiro lugar.

Mais um ano de fracassos[editar]

No ano de 2016, O time da Keyd ainda continuou investindo em jogadores brasileiros, onde copiando dessa vez os times chineses e os vários reservas, fizeram um time de 10 jogadores, confundindo o time de LoL com um time de basquete, e causou a primeira ilusão nos seus próprios torcedores, já que o time finalmente conseguiu ficar em primeiro na fase de grupos, e também conseguiu chegar a final do campeonato, mas como alegria de pobre dura pouco, a Keyd foi vice novamente, tomando mais um stomp da INTZ.

No segundo split de 2016, o time continuou o mesmo, mas o time conseguiu se desanimar novamente com mais uma pipocada e ficou apenas em quarto na fase de grupos, apenas para dessa vez ser eliminada pela CNB e nem na final conseguiu chegar, tendo mais um ano que deu em porra nenhuma.

Vice e música no Fantástico[editar]

Em 2017, o time ainda ficou cagando e andando para jogadores coreanos e o time da Keyd ficou em quarto na fase de grupos e conseguiu surpreender, quando durante todos os stomps, conseguiu finalmente vencer sua rival INTZ, e conseguiu chegar na final onde o time achou que a "novata" RED Canids era muito figurante e que iria pipocar, mas se provou o contrário, quando a Keyd Stars foi novamente vice do campeonato, tomando mais um stomp em finais.

Amistoso Internacional e primeiro "título"[editar]

Antigo escudo da equipe. (2012-2017)

Por ser o sétimo menos pior time do campeonato brasileiro, o time da Keyd Stars foi convidada a participar de um campeonato amistoso chamado de Rift Rivals, onde teria que enfrentar a Lyon Gaming e um time desconhecido qualquer, além dos times fracos da CLS, onde o time da Keyd começou apanhando de um time desconhecido da Argentina chamado Furious Gaming, que stompou a mesma.

Para salvar sua pele, em seu segundo jogo ganhou nada mais nada menos da Lyon Gaming, com nem tão incríveis 15 a 2, e no segundo dia conseguiu duas vitórias fáceis contra a Isurus Gaming e o outro time do México, onde nas semi-finais, pipocou contra a própria Lyon Gaming, mas conseguiu consertar a cagada do time e conseguiram vencer de virada. Na final, contra a CLS, o time da Keyd conseguiu vencer dessa vez a desconhecida Furious, mas pipocou para a Isurus, e quando todos achavam que a Keyd ia ter inclusive um vice internacional, conseguiu ser carregada pelo time da RED Canids, que teve trabalho contra os fortíssimos times da Argentina e do Chile e com isso, os torcedores da Keyd contam como seu primeiro e único título expressivo em League of Legends.

Mais uma ilusão[editar]

O time da Keyd estava em uma péssima temporada, mesmo com o título falso do Rift Rivals, onde o time conseguiu umas vitórias, dando uma falsa ilusão de se classificar pras semi-finais, quando o time na última rodada, apenas tinha que vencer dois jogos contra o time da INTZ, onde sem pressa, no primeiro jogo, o time da Keyd conseguiu levar um atropelo e com isso, perdeu o primeiro jogo. A Keyd, de última hora teve que ver várias regras para tentar se classificar, e descobriram para se classificar para as semi-finais, teriam que jogar que nem na época de 2011 e LoL com gráficos de Tíbia e fazer a própria INTZ dar "surrender aos 20", o que não deu certo por não estarem jogando contra a T Show pela extrema pressa da própria Keyd e acabaram perdendo a vaga pro tetravice pras semi-finais, além de ter que fazer um jogo extra pra sair do rebaixamento, ficando atrás de equipes como Team oNe e ProGaming. No duelo de rebaixamento, tiveram a sorte de pegar a fortíssima equipe da Iron Hawks e-Sports e com isso, facilmente stomparam-os três vezes seguidas, escapando do rebaixamento.

Depois de passar vergonha no segundo split no CBLOL, a vergonha foi tanta que a Keyd Stars deu uma de ROX Tigers e tiveram que mudar de nome, onde ficou chamada de Vivo Keyd.

Quarto vice na competição[editar]

A equipe então para conseguir acabar com sua seca de títulos no CBLOL, tentou invocar o mesmo elenco considerado "poderoso", o da INTZ de 2016, também chamado de "Exodia" e o time veio com altos e baixos, mas apenas conseguiu um terceiro lugar, já que a RED Canids roubou seu lugar favorito na fase de grupos. Nos playoffs, a Keyd principalmente stompou a CNB em 3 jogos e teve trabalho contra a RED Canids, mas conseguiu passar pela equipe dos furries. Na final, enfrentou uma Kabum pensando que fosse o mesmo jogo fácil da fase de grupos, mas caiu tanto na risada e perdeu o primeiro jogo, depois venceu de novo, perdeu e depois empatou, tudo isso para ser stompado no quinto jogo, ficando com o seu quadravice na competição e uma vaga no Rift Rivals apenas de consolação.

Time atual[editar]

Cquote1.png Você quis dizer: INTZ e-Sports Cquote2.png
Google sobre Time atual da VIVO Keyd

  • Yang (Topo): Um chinês falsificado que diz ser brasileiro que desistiu de jogar pela INTZ depois dos (nem tão) vergonhosos 1-5 no Mundial de 2016.
  • Revolta (Caçador): Jogador que é mais famoso pelos seus 23027483469034 roubos durante o jogo do que sua capacidade de jogar, além de ficar indeciso entre jogar pela própria Keyd ou pela INTZ.
  • tockers (Meio): Parou de fazer filmes pornô na extinta Sexy sem ser vulgar pra voltar a jogar lol.
  • micaO (Atirador): Saiu da Team United direto pra INTZ, mas desistiu e foi para a Keyd. E até hoje continua fazendo jus a seu nome pelo fato de não saber buildar o item qss em jogos do worlds, além de sempre estar mal posicionado, desde que virou pro player desse jogo de viado.
  • Jockster (Suporte): Saiu da INTZ Red pra INTZ mas saiu fora depois de ser bieliminado nas semifinais, junto com o de cima formam as mochilas do time.

Títulos[editar]

  • Quadravice do CBLOL: 4 (2015, 2016, 2017, 2018)
  • Amistoso sul-americano: 1 (2017, única coisa que a Keyd pode considerar como título)
  • Amistoso do CBLOL: 1 (2014, apesar de não ser um título considerado pela Rito Gomes)

Ver também[editar]