Transexual

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
RobertaClosetotheEdge.jpg IT'S A TRAP!!!

Este artigo pode levar-lhe para muitos lados da Força. Se você não está feliz com seu corpo ou já mandou cortar o pirulito, leia o artigo até o fim, caso contrário, cuidado com as armadilhas e não vandalize!


Um transexual, também chamado de traveco, travesti, shemale (por punheteiros), bicha (pelo Silvio Santos) e algumas vezes de transviado (por pessoas que mandaram o currículo pro A Praça é Nossa), abreviado como trans (que é como chamam no tinder) e transmutado com magia das trevas como trava (como punheteiros futebolistas chamam) é uma pessoa que seria como eu, você e o Zoboomafoo se não fosse por um pequeno probleminha de 27 cm: ela nasceu com o sexo trocado (na cabeça dela) e sofre bullying, assédio, perseguição e até olhares de bruxa por preferir seguir a identidade de gênero no instagram diferente da qual ela nasceu, ou seja, teria sido melhor ver o filme do Pelé nascer com o sexo da cabeça de cima à da cabeça de baixo; ela nasceu mulher mas queria ser homem, ou nasceu homem e gostaria de ser uma mulher, ou até mesmo ser os dois ao mesmo tempo, em um caso bizarro de transexual de Schrödinger. Tais pessoas são chamadas de não-binárias, dois espíritos ou simplesmente loucas.

É muito comum pessoas de pouca fé [1] bugarem a mente ao tentar entender como diabos um homem pensa que é mulher e vice-versa, mesmo que ela se comporte diferente daquele amigay escandaloso ou da mina caminhoneira que segue bem a vida com cabelo punk e roupa sertaneja de choppada da engenharia, e acabam concluindo que que ela é uma doente mental, o que não tá errado (ou sim), mas apenas por preguiça de tentar entender ou porque vão sofrer um choque de 220 V na orelha se realizarem mais sinapses tentando entender essa caralha.

Normalmente, essas pessoas passam por cirurgias de mudança de sexo e conseguem o que querem ou não são assinadas por preconceituosos antes disso, ou talvez a mãe até aborte ao descobrir, mesmo que já tenha nascido e seja um adolescente [2].

Comportamento[editar]

Uma rainha de paus... entendeu a referência, certo?

Desde de pequeninos, essas pessoinhas já demonstram que não gostam do que têm (os órgãos sexuais, se você ainda não captou), mas isso passa despercebido no começo porque talvez fosse uma ideia errada causada por assistir em excesso aqueles desenhos animados super bugados com uso exagerado de LSD em seus enredos, como Titio Avô, e isso tenha afetado a mente deles. A atitude começa a ser levada mais a sério quando mesmo depois de desistirem de procurar creme de bigode pra evitar a destruição do Universo, mas insistirem que seus periquitos [3] são uma DESGRAÇA e ser possível ver que os picotos já querem colocar vestido, brincar de brigar ou comer o batão da mãe. Alguns acabam até mesmo desenhando figuras cabulosas, igual àquelas crianças de filmes de terror.

Depois de infância fica bem na cara que eles tem problemas mentais são transexuais, principalmente porque adolescentes são problemáticos e choram por tudo, principalmente na TPM. Por isso, com certeza o cara vai ficar dando pitaco em conversas de adultos a respeito dos LGBTs ou sobre transsexualidade, principalmente se na roda de conversa tiver um tiozão pedófilo do churrasco que assovia pra menininha de 12 anos na rua e flooda o grupo da família com gifs de picanha. Depois disso tudo, talvez, os papaises e mamãeses percebam isso, o que pode acabar de duas maneiras: ou eles se livram do filho largando-o numa rodovia lá em Piracicaba super longe de casa, ou eles fazem do pedido dele uma ordem e o transformam numa bichona, ou em um machão, dependendo de quem for. Por falta de grana, por não darem confiança na transexualidade ou por ameaça do cunhado preconceituoso que dá a bunda escondido de morar na casa deles para sempre, normalmente é a primeira opção.

Já na fase adulta, com mais liberdade e tudo mais (a não ser que seja no Oriente Médio), a pessoa agora pode tentar fazer o que der na telha e se vestir do jeito que quiser, mas a maioria acaba como traveco e vai dar a bunda na esquina por R$ 1,50, se for homem que virou mulher. Se for mulher que quer ser um milionário homem, ela pode dar uma de Thammy Gretchen e se vestir totalmente e exclusivamente como um homem. Por isso mesmo, acontece mais reviravoltas na família da pessoa, a não ser que seja uma família liberal, ou composta por trans, ou com um tiozão do churrasco que tenha assado o cunhado com as dicas do Churrasqueadas [4].

Por muito tempo, não existiu transexuais na terceira idade, já que eles morriam de DSTs antes disso. Atualmente, graças a campanhas de conscientização muito eficazes, como: use camisinha, ou um carro de telemensagem vai tocar Marília Mendonça na frente da sua casa, e a substituição dos assassinatos de longo para curto prazo, com a troca das injeções de sangue aidético por tijolada, lampadada, facada na goela e tiro de magnum 357 com numeração raspada.

Diferenças[editar]

Existem várias coisas que não são transexuais, tais como: golfinhos, tiranossauros, esponjas, pokémons exceto a Gardevoir, vidros de maionese [5] com xampu, potes de sorvete com feijão, helicópteros apache e o Laerte Pabllo Vittar. Golfinhos são estupradores de cadáveres, tiranossauros são dinossauros de poser, esponjas são frescura, pokémons são fonte de inspiração para desenhos perturbadores principalmente a Gardevoir, vidros de maionese com xampu são coisa de pobre, potes de sorvete com feijão são o pesadelo de quem come pizza com luvinha e o Pabllo é uma drag queen, embora não pareça, pois drags normalmente têm a mesma cara, roupas mais pesadas que a sua mãe e uma voz mais grossa que o seu pau, não de hiena com diarreia... Ah, e o Laerte é a feiura em forma de pessoa [6].

Enfim, transexuais não são nada disso exceto inspiração para desenhos perturbadores: a diferença entre homens que se vestem de mulher e mulheres que comem esses homens eram homens é que transexuais não são travecos, mas as travas podem ser transexuais, pois travestis são pessoas que performam como o gênero oposto, mas ainda assim não querem mudar de gênero, ou querem... Mas na maioria dos casos não... Todavia, o fato de Pabllo não parecer drag mas uma mulher trans deixou essa diferença menor que o braço de um tiranossauro. Por conta disso, o pessoal nem se importa muito com esse tipo de diferença, até a hora do aperto... da bexiga.

O foda-se dado pra ideia do Pabllo ser drag ou trans é tão grande que deixaram ele aparecer na bandeira do orgulho transexual.

Uma Drag Queen pode ser considerada a mesma coisa que traveco, só que mais bem arrumado, com vestido, saias de luxo, quase sempre participantes de um reality show em que a pior melhor drag vence, com um vocabulário cheio de frescura e assistido por viados que esvaziam potes de sorvete. Novamente, Pablo Vittar foi longe demais serve de exemplo: dá para perceber que nem sempre ele vai estar vestido com um quilo de purpurina, então ele não é um transexual (ou um traveco), mas ninguém se importa se isso é verdade... quer dizer, às vezes não...

Preconceitos[editar]

Se não deu pra perceber ATÉ AGORA, os transexuais sofrem muitos preconceitos. Muitos mesmo. Não dá pra acreditar no quão desmesuradamente, inconcebivelmente, estonteantemente graaaande [7] é a quantidade de preconceitos que eles sofrem porque ninguém entende que ter bilau, gogó e cromossomo Y não os torna homens, mas sim entrar em coma durante uma gripe, assim como sangrar por 5 dias e não morrer não as torna mulheres e sim achar divertido espremer cravos, então resolvem que o justo é negar qualquer chance de arrumar um trampo decente, como o de agente especializado em compra e venda de artigos para o lar, ou até um indecente, como o de gostosa do Instagram. Tais preconceitos incluem: confundir um transexual com o demônio, não querer fazer sexo depois de descobrir a verdade, dizer ainda sim a pessoa é um homem/mulher, não gostar das músicas do Pablo Vittar querer internar num hospício, querer matar.

A maior provabilidade de haver tantos preconceitos com os transexuais é devido ao fato de que muitos são mais feios que a Samara Morgan e o Freddy Kruger juntos. Contudo, há muitas pessoas trans que realmente são, nas palavras de Luis Felipe Scolari, bem gostosas, e alguns são tão parecidos com mulheres e homens normais cis que não dá pra imaginar como seriam se tivessem aceitado o Jubileu e a Larissa com os quais nasceram, só sendo possível ver se algum youtuber bunda mole inventar de colocar a cara deles naquele aplicativo merda do faceapp, só restando de fato a dúvida de "transar ou não transar". Também tem o caso de pessoas acharem que travecos, hermafroditas e transexuais serem a mesma bosta, porém como o ditado diz: "Todos os caminhos levam a Roma"...

Ver também[editar]


Notas[editar]

  1. Vulgo: Nilce
  2. Mais um motivo pra abortar...
  3. É incrível como isso vale tanto pra xereca, quanto pra malaquias...
  4. funny
  5. Nem transexuais, nem instrumentos
  6. Quase que eu não coloco isso no artigo
  7. Se você não leu esse trecho com a voz do José Wilker, merece uma tijolada.