The Stone Roses

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Arband.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!


Placa80.svg

Este artigo discute coisas intrínsecas aos Anos 80's!
E curtia os desenhos do He-Man, dos Smurfs e dos Ursinhos Carinhosos.

Indiemo.jpg Let's see any iranian film?

Este é um artigo INDIE!

Não vandalize, senão os macacos do ártico irão atrás de você.

Undersk.jpg


The Stone Roses
StoneRoses-Monkey-Face.jpg
Beijinhooo!!
Origem Manchester
País Inglaterra
Período 1985-1996 e voltaram altualmente por que o Ian Brown tava passando necessidades
Gênero(s) Madchester, Britpop, Indie
Gravadora(s) Alicia Silvestone Records, David Geffen Recordes
Integrante(s) Ian Brown, John Squire, Mani, Reni
Ex-integrante(s) uns macacos amigos de Manchester
Site oficial www.thestoneroses.org


Cquote1.png Você quis dizer: Sirenes? Cquote2.png
Google sobre The Stone Roses
Cquote1.png Você quis dizer: The Charlatans? Cquote2.png
Google sobre The Stone Roses

Cquote1.png Eu quero ser o Ian Brown Cquote2.png
Liam Gallagher quando viu os Stone Roses pela primeira vez

Cquote1.png FILHOS DA PUTA! Cquote2.png
Tony Wilson quando ouviu Waterfall e descobriu que eles eram melhores que o Happy Mondays

Cquote1.png São melhores que nós mesmo, minhas letras são uma merda e a minha gravadora é uma bosta Cquote2.png
Shaun Ryder do Happy Mondays sobre The Stone Roses

Cquote1.png Eu pelo menos só tiro o chapéu pra eles, não IMITO o vocalista Cquote2.png
Damon Albarn sobre os Stone Roses e dando uma indireta pro Liam

Cquote1.png Cala a boca, ele é meu ídolo, minha inspiração Cquote2.png
Liam Gallagher se referindo a Ian Brown sobre o comentário anterior

As Rosa de Pedra foi um grupo de três drogados e seu macaco de estimação, que chegou à Manchester em 1983. Eles foram um dos grupos pioneiros do movimento Madchester e com sucesso conseguiu reinventar a década de 1960, no final dos anos 80. Eles consistiam em Gary "Mani" Mano, Alan "Reni" Reno, John Esquilo e Ian Macaco Marrom.

A Origem[editar]

Os quatro começaram a sua jornada para a grandeza musical no futuro distante de 4025 D.C. A fim de escapar do regime opressivo do último governo conservador, todos os quatro voltaram no tempo e acabaram em um entulho espalhado num terreno baldio. Eles decidiram começar uma nova vida para si e tornaram-se músicos. O maior avanço deles veio como um completo acidente. Um dia, ao fazerem o seu mais recente 'backing track', Ian foi capaz de pegar seu cadeado da gaiola e jogá-lo no painel de controle. Isso fez com que a música começasse ir para a frente. Constataram de que o som parecia bastante bom, e eles tinham inventado sem saber técnicas de gravações modernas, no entanto, neste momento quatro ladrões chegaram e levaram esse conhecimento com eles.

O Primeiro Album (que inspirou as bandinhas indie que fazem sucesso hoje e as que não fazem sucesso também)[editar]

O homonimo que contém as laranjas que Ian Brown tanto gosta de chupar

As rosa de Pedra fizeram uma estréia impressionante, então em uma lenta agonia de litígios contratuais,discórdia interna e, eventualmente, a indiferença pública fizeram a Haçienda explodir. Mais comum do que drogas ou morte jovem, este quarteto matou uma carreira que agora consiste essencialmente em apenas um ótimo disco. Além de ter inspirado o Britpop e o resto das bandas indies que existem e o Liam Gallagher o álbum já bateu os Bítous em melhor disco britânico e contém faixas como: "Waterfall", "Elefante de pedra", " Eu sou a ressurreição", "Ela espanca a bateria", " Feito de Pedra", "Ouro de tolo" e a grande música que abduziu o pessoal "Eu quero ser adorado".

O Divócio[editar]

Após o sucesso do primeiro álbum que foi criado para a grandeza, no entanto, devido a um incidente lamentável envolvendo o Ian, fezes, a Rainha e lançamentos, os Stone Roses foram obrigados a ficar no estúdio por vários anos antes que o exército seja forçado a cancelar a pesquisa a fim de ir para outro acampamento de férias no deserto. No entanto, após isso, eles enfrentam uma ameaça maior quando o Mestre, sob o disfarce de Alicia Silverstone, declarou guerra à sua música. A maior parte da guerra ocorreu em torno de Manchester Crown Court (a cena de guerras diárias), no entanto, terminou em Bosworth com o golpe final a ser entregue pelas forças da Géffen.

O Ultimato[editar]

Apesar de se mudarem para um estúdio luxuoso no centro da R'leyh, as rosas começaram a desmoronar. Mano foi o primeiro a sair, devido a uma disputa sobre o chapéu sendo usado por Ian como um preservativo. Próximo a sair foi o Esquilo, que desta vez sobre a questão do dinheiro, ele deu um de Rene Descartes e abordou que o dinheiro não pode mesmo existir, e o restante tomou a abordagem de sanidade. Finalmente, depois de uma performance tão terrível que o Hell Angel's, CIA e as Panteras Negras foram chamadas para acalmar a situação, o grupo decidiu dissolver.

Eles anunciaram recentemente uma turnê de reunião, que foi rapidamente apelidada de "precisamos de uma turnê de pensão por que nós gastamos todo o nosso dinheiro em drogas tour", e que não é de modo algum, um jeito estrategicamente cínico para alavancar grana suada de pessoas inocentes de manchester que uma vez pode ter até gostado de uma de suas canções. Ian Brown foi rápido em apontar que todo o dinheiro arrecadado com a turnê iria no sentido de ter sua laringe permanentemente removida para a segurança futura. Ao todo, eles voltaram em sua palavra honrada e reformada para o dinheiro, os drogados sujos e skanks.

Ian Brown também cria cabras mendigas.

Discografia[editar]

  • O primeiro álbum (O melhor de todos)
  • Os B-Sides (também muito boa)
  • The New One (Por favor, não nos odeie)
  • The Next Compliation (com o single Excremento que ninguém gostava e As Bostas edições)
  • The Early (Péssima) One
  • Good Songs (Merda Remix)
  • All The Best (Ou, como podemos apertar de cerca de 10 músicas?)
  • O primeiro (De novo)
  • The Last One (edição Deluxe novamente e que de luxo não tem nada)
  • O primeiro (Undeluxe Edition)
  • O segundo (é uma boa e honesta edição)

Ver também[editar]