Painho

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: Epidemia af Cquote2.png
Google sobre Painho
Cquote1.png Chico? Afff... não tenho. Cquote2.png
Painho sobre Chico (qualquer um deles).


Painho deveria apenas ser uma expressão para definir a forma de chamar o amante de forma incestuosa na Bahia, mas não ficou apenas nisso, quando o quase milenar Chico Anísio foi ao terreiro por recomendação de seu médico e lá foi amaldiçoado agraciado com mais uma entidade, na verdade, a mais aberrante de forte de todas.

Painho[editar]

Afff...

Chico sempre teve milhares de entidades e não pesonagens, como se sabe, os únicos personagens mesmo, são o Professor Raimundo e o vampiro cabeludo (medonho não pelo terror mas pela feiúra mesmo), que inclusive, também brilha no escuro. Fora esses dois, toda aquela batelada de seres estranhos que ele encarna são entidades, mas nenhuma delas havia dado problema até o surgimento de Painho, pois é o único que chega e não quer mais ir embora, sobretudo´quando Chico tomava uma dose das bem fortes. Em compensação essa era a única das entidades que não queria pegar as mulheres do Chiquinho sem o controle dele... bom, era ele quem estava lá, mas não era assim que sentia, de modo que se achava corneado. No caso, Painho, não queria saber das mulheres...

...certo: Ele queria saber é de pau, mesmo não sendo uma pomba-gira, e isso é pior ainda do que ser corno, Chico tinha que fazer um esforço sobre humano para que Painho não fosse atrás de um gogo-boy disposto a pagar pau. Por sorte, painho acabava cansando e querendo mais saber de uma rede do que de pau e então, Chico tinha apenas que se deitar e ficar falando af e neguinha, que logo passava e Painho ia embora. Chico, diferente das outras entidades, não queria enganar que fosse outro personagem e mostrar mais uma aberração ao Brasil, mas foi a única forma de acalmar Painho, assim, contra sua vontade, acabou virando outro personagem, mas sem sua aprovação. Logo que Chico se foi, as demais entidades deixaram o cangote dele sem reclamação, mas painho ainda quis seguí-lo no aquém e no além, coisa que nem seu personagem (esse sim personagem) vampiro, o fez. Painho se agarrou na perna do Chiquinho e por mais que este tentasse explicar a situação, não adiantava, precisou de uma falange inteira para tirar Painho do tornozelo dele, após retirarem, mandaram Painho para uma parte do Bosque Encantado, só assim, ele sossegoe Chico finalmente se viu livre.

Afff...[editar]

Criança vendo Painho fora do corpo de Chico, ele se parece com isso.
Painho querendo se manifestar em outra vítima.

Poucas pessoas sabem, mesmo falando e escrivinhando af a toda hora, mas essa foi uma das pragas que por intermédio de Chico Anísio, Painho (ou o contrário) conseguiu fazer pairar uma nuvem cor de carmim abichalhada, que não lembraria uma nuvem de poluição nem de chuva, mas algo que fez chover o vírus incurável e permanente af na população, atacando mais da metade deles. Mal sabemos (agora sabemos) de que parte de Painho o af saiu. Ao descobrir, Chico não queria permitir, mas foi mais forte que ele, já explicado que foi uma entidade das mais fortes e estranhas que grudou no cangote dele.

Ele tentou impedir tanto que isso saísse, que quando saiu foi quase como um furacão, a sorte foi que não tinha cheiro nenhum, o vento de cor carmim passava pelas pessoas deixando sua presença estranha, até que subiu e virou nuvem, quando choveu é que aconteceu o desastre, que foi maior ainda do que Painho aparecer em frente as câmeras: O vírus af se manifestou e, semelhante a outros, não tem cura, mas talvez seja o pior de todos. Até a infeliz existência de Painho, o santo nome era dito simplesmente ave, embora fosse santa e não galinha... bem, painho é santa e galinha ao mesmo tempo. Não faz qualquer distinção, basta o hospedeiro estar vulnerável que af o pega.

Ver também[editar]