Muse

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bandeira da Inglaterra.png GOD SAVE THE DESCIC£OPEDIA!!

The Merlim's Order First Class garante que este artigo é 100% inglês. Ele é industrializado, casto, vitoriano e tem a aprovação de Câmara dos £ordes.

The £ondon Royal British Association of England vigia este artigo.
Willliampre.jpg
Alien.gif
T O P | S E C R E T |!
Alien.gif

Atenção! Este artigo é sobre uma teoria conspiratória, então tome cuidado com o conteúdo que estiver lendo.

Enquanto isso, o exército americano está se comunicando com ETs.

Davesolo.gif

Brian Johnson deu sua benção a este artigo!

Obrigado! Este artigo se sente mais forte agora :)

Clique aqui para mais abençoados.

Indiemo.jpg Let's see any iranian film?

Este é um artigo INDIE!

Qualquer alusão à Kasabian não é mera coincidência.

Undersk.jpg


331px-Longcat.jpg Prepare-se para ler:
Esse artigo é muuuuito grande e pode causar cegueira.
Pense duas vezes e não seja tão idiota antes de ler algo assim


Emblem-sound.svg.png Muse
Muse20.jpg
Nem um pouco anormais.
Nome Muse (Mouse, Mousse, Fuse, Use e abuse)
Origem Cydonia, Marte, refugiados na Inglaterra
Sexo Assexuado São todos Homens (?)
Instrumentos
Nuvola apps kcmmidi.png
Vocal, ácido sulfúrico, Pau elétrico (WTF?)
Gênero Rock, Forró eletrizado, e Gritos com classificação desconhecida
Influências ET's que eram pseudo-metaleiros
Nível de Habilidade Alto Engana qualquer um
Aparência De pessoas comuns, bem disfarçados
Plásticas Todas
Vícios
Nuvola apps atlantik.png
Gritos histéricos sem motivo
Cafetão/Produtor
Crystal Clear action bookmark.svg.png
Bono Vox

Cquote1.png Você quis dizer: Radiohead Cquote2.png
Google sobre Muse
Cquote1.png Se vocês podem viver em Cydonia, nós podemos viver num Submarino Amarelo! Cquote2.png
The Beatles sobre Muse
Cquote1.png NOOOOOSSAAAA!!! o Dom parece o Ringo Starr Cquote2.png
Fã de Beatles bêbado sobre Muse
Cquote1.png Foram os 7 minutos mais rápidos e ao mesmo tempo mais lentos da minha vida, eu viajava entre as dimensões e atravessava universos à cada troca de acordes do Matt, tive orgasmos múltiplos com aquele falsetto, tive alucinações com os ritmos que o Dom batucava e simplesmente sentia meu corpo flutuar com o baixo do Chris. E, por um momento, me concentrei tanto na música que meu corpo se desligou. Minha vida era aquela música, parecia que era a minha conexão com um outro universo. Cquote2.png
Maluco viciado em LSD culpando o Muse
Cquote1.png Uma das coisas que me deixam enfezado com Muse é o vocalista ter a mania de cantar que nem um lerdo, como em Stockholm Syndrome, que ele cant amais ou menos assim: "fiiiiiiz.... giiiiiiz... Vaanuuuuusaaaa nããããão... Cooompreeeeeeiii um milhuuuuuuu..." Cquote2.png
Fã de Radiohead desesperado em cortar o talento da banda
Cquote1.png Erase! Yeah! Yeah! Yeah! Yeah! Cquote2.png
Poser que não sabe inglês tentando cantar United States of Eurasia
Cquote1.png Uhúll! Música de vampiros! Cquote2.png
Poser viciado em crepúsculo sobre Supermassive Blackhole
Cquote1.png Muse só ficou famoso por causa de crepúsculo. Cquote2.png
Poser fã de crepúsculo que ama pertubar os fãs de Muse sobre Muse
Cquote1.png Não, crepúsculo é que ficou famoso por causa de Muse. Cquote2.png
Troll de internet Fã sobre citação acima
Cquote1.png NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOOO!!!! Cquote2.png
ao saber que músicas do Muse estariam na trilha sonora de Lua Nova
Cquote1.png Pop e comercial Cquote2.png
Radiohead sobre Muse
Cquote1.png I just don't care if it's real, that won't change how it feels Cquote2.png
Matthew Bellamy sobre peitos de mulheres

Muse é uma banda de rock alternativo, emo, indie e de LSD-rock formada em Cydonia, pequeno território de Marte que luta pelo reconhecimento de seu território junto à NASA, onde o Muse é o principal ícone para lutar pela independência.Suas letras falam de drogas, ostentação e cristianismo, fazendo a alegria de crianças deficientes há mais de 100 anos. O Muse também briga pelo reconhecimento de um Genocídio de privacidade de Cydonia, onde a privacidade dos ET's foi violada inconstitucionalmente com os telescópios que a NASA insistia em colocar pra observar Marte. A banda foi forçada a se mudar pro Planeta Terra muito por culpa dos falsetes de Matt Bellamy, que irritavam os demais ET's e por isso puseram os três integrantes num meteoro.

Se o Muse caísse no Brasil e não desse certo no funk, teria tudo pra dar certo no pagode.

A sorte dos três é que era 1994, e Luan Santana nem pensava em fazer sucesso, senão provavelmente esse meteoro cairia no Brasil, durante um dos shows em que Luan faz a Dança do Meteoro, exatamente na parte Você é raio de saudade, meteoro da paixão!! Com isso, provavelmente a banda seria de funk, no qual os três poderiam fazer uma revolução, o funkemo, que faria os traficantes chorarem em bailes funk e talvez assim ganhando sentimentos, e, quiçá, parando com os roubos e se concentrando em arrumar alguma mulher para ter um sentido pro choro. Ou jogar o trio num microondas e eles ficarem quentinhos, mas logo imediatamente fresquinhos (ou não).

Atualmente são venerados por fãs de Crepúsculo muito por culpa de algumas de suas músicas fazerem parte de filmes da série. Normalmente você pensaria...

Cquote1.png Ao menos eles ganham mais visibilidade e mais fãs! Cquote2.png
Você, e seu cérebro de ervilha

Mas você não pensou que além de ter várias outras músicas de várias outras bandas, a classe guria retardada que costuma ver essa bagaça não entende uma palavra do que está em inglês e normalmente prefere comprar o novo CD da Lady Gaga ou do Justin Bieber, Justin Timberlake, Restart, NXZero, Bonde do Rolê... (não, dessa vez o efeito do LSD do Muse que está me afetando) Porque, sacumé, há uma questão de afinidade.

História[editar]

Origem e formação[editar]

Os três, ainda em Marte, pouco antes de assumirem a forma de humanos.
Em algum desses meteoros estava o Muse. Sim, mesmo antes de morar em Londres já encaravam tráfego intenso e engarrafamentos. Até na Via Láctea (mas a BR-101 ainda é pior)!

Era 1978 e em Cydonia, um grupo de ET's juntamente com os Ursinhos Carinhosos bolaram um experimento revolucionário no passo de descobrir se há um modo de Conquistar a Terra. Os marcianos juntaram um rádio velho, um porco-espinho (furtado de uma floresta qualquer da Terra quando os marcianos mandaram uma excursão pra cá - muitos dizem que um dos produtores de Chaves chegou a ver ele, tanto que no texto de Quico num episódio, o mesmo afirma ter visto um disco voador), um pouco de tudo o que há de bom e mais umas pitadas de açúcar mascavo [1]. Com uma mistura logo surgiu uma grande explosão (nem tão grande assim) e surgia um ser idêntico à um ser humano. Imediatamente batizado como Matt Bellamy, [2] o ser logo já tinha suas características definidas por cada objeto. O rádio velho gerou a voz irritante perfeita, o porco-espinho o cabelo, e o açúcar sua personalidade. Bom, veja mais sobre o mesmo na seção dele (sim, esse artigo é organizado, meus senhores).

Logo vieram outros dois avatares seres, claramente surgindo dos restos de Matt, seres chamados Chris Wostenholme e Dominic Howard. Chris é o baixista muito por culpa de outro ingrediente posto logo após um tempo em sua cabeça para esta criatura ter uma utilidade: uma CPU com tecnologia Intel (líder de mercado também em Marte) na mente. Não demorou muito pra processar dados e logo baixar da internet certamente não era Velox, senão o Muse poderia até existir, mas sem baixista - o que, convenhamos, não muda porra nenhuma algumas aulas de como se tocar baixo em 10 minutos. Bom, Dominic...Dominic só sabia tocar uma coisa na sua vida. Como por não saber nada bater nas outras coisas também não era tão difícil, acabou virando baterista.

A ideia inicial dos ET's era fazer com que o povo da área tivesse algum lazer, vide, algo para se entreter além de ficar montando castelos de terra com areia vermelha e comer queijo. Mas ainda bebês já mostravam ser irritantes, apesar de o choro dos três ter uma sinfonia excepcional. Logo mudaram os planos e decidiram arrumar um modo de fazer com que os terrestres parassem de ficar espiando Cydonia e tentando invadir por o no planeta vermelho. Como Bono Vox e o U2 são irritantes mas mesmo assim conseguem o que querem, vide, fazem com que fãs alienados apóiem causas como a do Big Mac, os marcianos viram que os guris do Muse cantavam bem (pelo menos pra alguém na Terra teriam que cantar) e fizeram o mesmo, quando crescessem.

Logo quando se desenvolveram, os Muse também perceberam que naquele lugar não seriam invincibles, seriam no máximo uma bandinha desconhecida da maioria do grande público (bom, e era até aqui, ao menos até Edward Cullen e sua trupe aparecerem). Em comum acordo, decidiram pegar um voo uma carona num meteoro que passava pela área e se jogaram nele[3]. Certamente chegaram quentinhos na Terra. Aliás, eles se soltaram do meteoro, que caiu certamente num lugar cujas características lembram sua mente, caro descíclope.

Muse durante um de seus shows em Marte: Foi tão ruim que Buzz Lightyear decidiu interferir e acabar com o show de uma vez por todas com seus raios laser.

Quando caíram na Inglaterra, talvez por caoisa do destino, ficaram alguns anos mais novos, voltando a ser bebês, vai ver porque o mataoro estava acima da velocidade permitida (o limite máximo na Via Láctea é a velocidade da luz), e isso afetou os coitados[4]. Como o impacto da queda foi grande, caíram em regiões diferentes da Inglaterra, ficando separados uns dos outros. Sem muitas esperanças, acabaram por entrar na escola mesmo, até o instante em que se reencontrariam anos depois, já que por obra do destino se reencontraram na Escolinha Acarajé Feliz (filial inglesa), vide mais abaixo. Quando se reencontraram na escola, logo tudo aquilo voltou a mente deles. Se tocaram que tinham nascido surgido ao mesmo tempo em Marte. Como estavam cansados de sofrer bullying e queriam algo para passar o tempo, além de fazer jus à missão que lhes foi imposta pelos marcianos, decidiram arrumar algum modo de conseguir dinheiro e formar uma banda.

Tocando covers e fazendo bicos conseguiram juntar um dinheiro suficiente para começar um próprio negócio. A idéia clássica foi abrir uma padaria, visto que se eles não caíssem na Inglaterra iam cair em Portugal Certamente OVNI's invadiriam algumas plantações de trigo, as roubariam e mandariam direto para o endereço deles, com frete grátis e ainda com um presente: uma Juicer Philips Walita (posteriormente usada para fazer uma Colisão Neutra de Estrelas) usando um abacaxi, uma melancia e uma jaca, colocando tudo isso no Juicer[5]. Sim, isso gerou uma bela música, que a Polishop não pode usar nos seus comerciais porque Dominic reclamou que seu ultra-mega-sensacional-revolucionário ventilador comprado por lá não funciona bem até hoje. Como não deram solução, a banda se vingou assim.

Isso aconteceria se ao invés de uma padaria o Muse tivesse decidido abrir um bar.

Bom, a padaria se destacava muito pelos mousses bem feitos. Dizem as más línguas que enquanto estudava suas teorias conspiratórias, Matt dava umas passadas no filme Ratatouille, até porque era o único que a Sessão da Tarde passava no momento. E também porque ganhava muita experiência enquanto atualizava seu perfil no Orkut jogando CaféMania, fazendo Mousse de Limão com perfeição. Não demorou para a banda ser logo conhecida na Inglaterra entre indies, visto que eles acham padarias um lugar super-cool para se reunir[6], ainda mais porque lá se vende muitos sonhos.

Com tantos indies por perto, já era hora de começar os shows de striptease na padaria, já para começar o Plano de dominação mundial para Cydonia (ou ao menos para ganhar uma graninha no fim do mês e pagar a conta de luz). Ou seja, começaram a fazer hora extra pra fazer mais mousses e baguetes enquanto o povo não frequentava a padaria, para assim poderem cantar suas músicas e assim serem populares. Eis que um ser mais exaltado, provavelmente um mané que bebeu um pouco demais[7], queria mais mousse, mas gritou MUSE. Não demorou muito para outros babacas começarem a gritar Muse também.

Chegando à Fama[editar]

A banda tentando estabelecer contato com seu planeta natal.

Com isso, não demorou tanto para a simpática padaria virar um puteiro grande point de indies, onde Matt Bellamy tratou de fazer igual Edir Macedo faz na Igreja Universal e começou a lavagem cerebral em todas as pessoas que ali frequentavam, com suas palestras sobre teorias conspiratórias, estudos ssobre outros planetas, com maconha, e, uma imitação descarada de um mousse com efeito semelhante ao de um Double Ristretto Venti Half-Soy Nonfat Decaf Organic Chocolate Brownie Iced Vanilla Double-Shot Gingerbread Frappuccino Extra Hot With Foam Whipped Cream Upside Down Double Blended, One Sweet'N Low and One Nutrasweet, and Ice, o que fez com que muitos começassem a gostar não só das músicas mas também a seguir os ensinamentos da banda, ficando com alterações significativas no índice que QI, geralmente para baixo, porém sempre agindo como um mobral cult, assim como todo indie.

Isso logo se espalhou, e, para facilitar a divulgação, o Muse decidiu fazer entregas de mousse em domicílio, além de expandir as padarias, vide, abrir novas filiais por toda a Inglaterra. Consequentemente, contratar alguns contra-regras nerds que estavam sem futuro para ocupar suas vagas enquanto o Muse estava em um tour pelas padarias (sim, o primeiro Tour da História do Muse não foi o tour do CD Showbiz, mas sim O Tour Do Mousse Perfeito. A idéia era ir pra esses lugares divulgar suas músicas com letras totalmente non-sense, mas ficando com sense, visto que o sense do Muse é ser non-sense, entende?

Como a linha de indies é desconhecida mas forte e unida (tanto quanto a união entre Batman e Robin - nem tento - Itaú e Unibanco), não demorou muito para o Muse virar a banda indie do momento até na Chechênia. Após chegar a participar de festivais gastronômicos até em Manchester, logo foram convidados por Olivier Anquier e Edu Guedes para fazer um livro de receitas especial, com várias maneiras de se fazer um mousse. Como não funcionou como o esperado, vide, o Muse não pode colocar drogas e/ou cogumelos alucenógenos na fórmula, não agradou muito, vide, não agradou nada.

Uma das cláusulas da gravadora previa que eles criassem novos talentos da música. Levaram demais a sério...

Mas, como a sede da gravadora deles, a Mousse Music Mushroom tava ali na mesma rua, decidiram hipnotizar cantar para o presidente da mesma já mostrando também que tinham um grupo de retardados prontos para comprar o CD. Como a Mushroom não é uma gravadora muito conhecida, vide, uma gravadora que tem com o Muse uma relação parecida à que a Rockstar Games tem com a franquia Grand Theft Auto, não foi tão difícil convencer essa cambada à produzir os CD's da Matt Bellamy's band. Bom, ao menos a Mushroom é melhor do que fazer gravações independentes, ou seja, alugar um prédio da COHAB, comprar mais de oito mil CD's virgens e usando um programa pra fazer CD's piratas, provavelmente baixado no Baixaki com algum tipo de vírus maléfico (E existe algum vírus benéfico?) ao computador.

Enfim, não demorou muito e o CD Showbiz saiu, com músicas que lembram um estilo emo puta revolts, vide, chorando e ao mesmo tempo gritando, provavelmente consigo mesmo, talvez para descer mais lágrimas de uma vez só, o que atraiu não só indies normais como indies anormais indiemos. Com músicas que dizem o que todo o capitalismo quer, por isso um sucesso de vendas ser humano sente em dias ruins (ou não). Depois de alguns anos, ainda ficaram na mesma bosta, vide, famoso em tudo quanto é lugar, mas, misterioamente não nos Estados Unidos (eles gostam de coisas fúteis e capitalistas, mas apenas made in USA - ou China/Taiwan).

Alguns dizem que a fobia que os EUA tem de ET's dificultou a entrada no mercado, e, ainda por cima, quem usa droga nos EUA geralmente não é indie e nem emo, mas sim um cara em depressão absoluta ou um nerd tentando se passar por durão. Mesmo assim já era hora de começar a dissipação das teorias sobre Cydonia e Marte, e, assim, começar o processo de Dominação do Planeta, para depois sim, pensar em invadir os EUA (eles são temidos até por marcianos! OMG!)

Então, a ideia de marketing seguinte para se popularizar ainda mais foi criar o Muse Donald's, que seria a rede de franquias da padaria (sim, e, você, que pensou que era plágio do Mc Donald's, está errado! O MUSE CHEGOU PRIMEIRO! MUSE DONALD'S É O REAL! O RESTO É FARSAAAA! FARSAAAAAA!). Não demorou para surgir o Mc Muse Feliz, um composto de Mousse, Cupcake, Brigadeiro e um copão de milk-shake, onde o molho era um pequeno sachê de calda de caramelo. O brinde era sempre um CD da banda, vide, antes do Showbiz era um com músicas experimentais da banda, depois virou o Showbiz, e foi se sucedendo. Por isso é comum achar pirataria com coisas do Muse. Porém...

Processo contra o Mc Donald's[editar]

O ódio de Ronald McDonald ao saber que estava sendo plageado foi tanto que ele fazia isso com garotas que se diziam fãs do Muse ou que diziam que Dominic era mais bonito que ele (pra mim dá empate técnico).

Como estamos num mundo capitalista, não demorou para o Ronald McDonald perceber que alguém o tinha imitado (sim, até ele, o Muse criou o DominicMcDonald - o Dominic Howard se vestia de palhaço e fazia as gurias retardadas babarem). Logo saiu um processo na Justiça, que prometeria render milhões ao vencedor (com isso o Muse podia investir em mousses sabor milho). Mas, ambas as partes revolveram tudo numa mesa de truco quando o Muse prometeu que ao menos nenhum mousse se chamaria Mousse Mac, vide, um balde de chocolate com chantily em cima. Até porque senão o McDonald's perderia parte da cara indie que tem, vide, perderia alguns clientes. Hoje chegou a haver uma parceria entre ambas, onde por um pequeno espaço de tempo os brindes do McLanche Feliz foram bonecos do Muse que quando apertados jorravam água, e passavam a ser pistolinhas de neutralização de estrelas, o que poderia originar uma Neutron Star Collision de verdade soltavam alguns sons que lembram perfeitamente seus papéis na banda. Vide:

Matt Bellamy fazia barulhos do tipo Ahhhhhh...uhhhhhh....iaaaauuuuuhhhhhhhhiaaaiaiaiaiaaaa!! Idênticos aos que faz nas músicas da banda. Quem ouve de início pensa que é alguém se matando.
Chris Wolstenholme demora para fazer um barulho, as pessoas até pensam que ele tem defeito, mas solta um Supermassive Black Hole, e, deixa todos com esperança de que ele fale mais. Nada. Alguns ruídos baixos, mas, quase imperceptíveis. Esse é aquele boneco do tipo, se fosse um brinde num cereal qualquer, a criança reclamaria e diria Merda, veio o pior!
Dominic Howard, quando apertado, emite sons super-instrutivos, do tipo, tum-tum-tá, tá, tá, tum-tumtá , baaate coração, ô tumtumtá! É legal porém o problema era que algumas crianças se empolgavam a batiam com o boneco o fazendo de baqueta de bateria de mesa, e quebrava o coitado. Dominic passou a ter sérios problemas com enxaqueca a partir disso, o que fez com que sua produção fosse diminuída e seu número de onecos no MccLanche Feliz diminuísse.

Fase das teorias conspiratórias[editar]

Cquote1.png Nossa, tu é feio, hein? Cquote2.png
Matt Bellamy olhando pra você enquanto lê essa bagaça.

Nessa fase a banda começou a ser pressionada por Cydonia que alegava que eles estavam gastando tempo demais fazendo mousses do que se concentrando na missão que foi imposta a eles de convencer as pessoas da soberania de Cydonia sobre a Terra e que a dominação por ela seria inevitável. Porém a banda afirmava que para a dominação do planeta era necessário ganhar a confiança das pessoas, porque para ser líder é necessário ser amado pelo seu povo, e nada como bons mousses para fazer isso. É lógico que isso não convenceu em nada os cydonianos, que começaram a ameaçar um ataque a Terra com eles lá dentro.

Assim começaram a se concentrar mais na alienação do seu público. Para isso tinham que criar um sentimento nacionalista nas pessoas, elas tinham que se sentir Marcianas para deixarem ser dominadas sem muitas revoltas (pois é lógico que um monte de emos xingando muito no Twitter por causa que foram dominados por Cydonia ia ser um pé no saco). Tentaram então encontrar características comuns entre os planetas, algo que fizesse as pessoas acreditarem que ser dominadas por Alienígenas feios e babões é algo bom.

Procuraram em seu planeta algo que fosse agradável, mas como achar algo bom em uma sociedade que sobrevive de areia vermelha? Até eu ia ser um sujeitinho meio chato se só tivesse areia no meu planeta, deve dar uma vontade de se matar (engasgado com areia, só se for assim!). Decidiram adotar outro plano então: procurar as coisas ruins da Terra, algo tão ruim que faria que as pessoas preferissem ser dominadas por um povo chato como os Cydonianos.

Lady Gaga chegando na Terra na sua espaçonave de última geração.

Um dia estavam vendo putaria na internet jogando no Miniclip e encontraram um site chamado desciclopédia Wikileaks que contavam os podres do governo americano. Opa! Foi fácil como roubar mousse doce de criança e eles mataram dois CUelhos de uma vez só: acharam alguma coisa para falar mal da terra e ao mesmo tempo se vingaram do Estados Fudidos Unidos, que impediam que suas redes de padaria entrassem no seu território para não haver concorrência com suas redes de fast-food.

Vários indies começaram a acreditar nas suas teorias conspiratórias e ficaram fascinados por Cydonia, viam o planeta como auge do desenvolvimento (só se forem indies de Serra Leoa então, onde qualquer coisa para eles é o auge do desenvolvimento). Nessa época foi aparecendo uma nova onda de indies-punks-nerds-gordos, que eram as pessoas cults, revoltadas com a sociedade, viciados na cultura alien e gordas de tanto comer mousse. Eles faziam qualquer coisa que a banda pedia, fosse fazer passeatas nas ruas para o reconhecimento do território independente de Cydonia, fosse para sair gritando nas ruas "Ados, ados, ados! Queremos por Cydonia ser dominados!", fosse para fazer propagandas de graça de seus mousses, plantar bananeira e qualquer outra besteira que você pensar.

A Confederação de Cydonia estava muito contente com o resultado dos explodidores de ouvidos músicos. Com os terráqueos venerando o Muse, Cydonia percebeu que já estava na hora de mandar um representante da Confederação de Cydonia para dominar o planeta, porque é lógico que eles não iam deixar três patetas que só sabiam bater punheta tocar e cozinhar para tomar conta de um planeta, eles mal conseguiam manejar sua rede de padarias sozinhos, os mendigos viviam roubando comida de lá e ninguém percebia, imagina isso em escala de um planeta!

Desse jeito enviaram a Chanceler Lady Gagalona (sim, é essa pessoas mesmo que você está pensando) para tomar conta do planeta acreditando que o Muse já estava com os terráqueos todos na palma da mão. Mas chegando lá a Chanceler percebeu que a única coisa que eles tinham na mão era um monte de fãs undergrounds que ninguém dava atenção para o que falavam e um monte de gordos frequentadores de suas padarias. Quando Cydonia descobriu isso percebeu que a banda não tinha feito sucesso porque o patch do seu computador que mostrava as informações do planeta Terra não tinha sido atualizado desde da década de 70, que era quando o Rock Progressivo estava fazendo sucesso (Viu? É isso que dar ficar adiando aquela atualização do seu computador...) e não viram que na última versão do planeta Terra o que estava predominando era o pop meloso e grudento (humm, era só ter colocado mais um pouco de açúcar na composição deles...). Percebendo o seu Fail, a Confederação de Cydonia abandonou o projeto Muse e começou o projeto Lady Gaga, a rainha da Terra do pop.

Fase emo Twilight[editar]

Efeitos colaterais de Crepúsculo atuando sobre Matt: agora ele se acha um vampiro. E provavelmente vai beber suco de uva dizendo que é sangue...

Mesmo rejeitados pelo planeta natal, sacaneados e humilhados porque não acreditavam que conseguiriam comandar um planeta sozinho, o Muse ainda queria ganhar o respeito de Cydonia (na verdade é porque eles são loucos para voltar para seu planeta, só que não podem chegar lá de mãos vazia sabe né... Um planetinha conquistado está de bom tamanho). Para isso precisavam conseguir um público além mar, os norte-americanos porque eles influênciam o mundo todo. Ou seja, se eles conseguissem fazer que aqueles jovens branquelos e espinhudos cantassem suas músicas, o mundo cairia aos pés da banda e Cydonia reconhereriam eles como heróis (ou só deixar eles voltarem para Cydonia já estava de bom tamanho).

Para isso teriam que participar de algo que estava fazendo sucesso nas Américas. É de conhecimento geral que os americanos adoram super-heróis, então a idéia inicial foi colocar o Dom para tocar com fantasias ridículas estilosas de Homem-Aranha (já que ele era o único que aceitava fazer esse tipo de humilhação...) o que fez um pouco de sucesso mas não rendeu nem um fãzinho alucinado. Até que uma vez sem querer o Matt mordeu a língua enquanto cantava e seus dentes ficaram cheios de sangue que nem um vampiro na verdade ele ficou que nem um idiota que morde a própria língua, mas essas pessoas são tão criativas... e perceberam que a platéia foi a loucura! Assim, compreenderam o que iria fazer a carreira deles levantar vôo, um jatinho particular participar da moda vampiresca!

Foto de Matt Bellamy minutos antes de serem salvos

Um dia receberam um telefonema da criadora da série de livros do demônio do Crepúsculo, Stephenie Meyer que dizia fã do grupo (Uma fã indie? Acho que não, só se fosse uma fã de seus mousses). Parecia que tudo estava do lado deles, porém ao entrar no local que eles deveriam se encontrar com a Stephenie caíram em uma armadilha e seus pés ficaram presos no chão com queijo derretido. Isso ta muito sem sentido eu sei, e não, eu não estou usando coisas estranhas, eles ficaram presos em queijo porque a Stephenie na verdade é uma lunática que queria o mesmo que eles: o reconhecimento da NASA do território independente da Lua e, só para não perder o costume alienígena, dominar a Terra. O Muse estava atrapalhando os planos de alienação mundial tentando ficar famosos, então estava na hora de eliminar eles.

Cidade natal de Stephanie Meyer

A sorte da banda é que eles estavam com um iPhone com internet 3G e puderam mandar um tweet @Cydonia dizendo que tinham sido sequestrados por uma lunática que queria destruir a Terra para transformar ela em um estoque de queijo, tudo isso com 140 caracteres disponíveis e com direito a retweet para já avisar a União Galática e poder receber uma autorização para entrar em guerra com a Lua, tudo isso online graças a tecnologia, que já está agilizando a burocracia de formações de guerras!

Essa foi conhecida como a Guerra de Estrelas, onde Cydonia lançou estrelas neutronizadas (estrelas com neutrons? WTF?) em direção a Lua, vocês podem descobrir mais curiosidades sobre esse acontecimento histórico na página 321 do volume 2 do seu livro didático de História do Universo e sim, vai cair na prova. Acabou que logo a Lua arregou, já que o poder bélico deles era bem menor (diferente dos Cydonianos a matéria prima do seu planeta, o queijo, não era muito potente para guerrear, o máximo dano que fazia em seus oponentes é deixar eles com colesterol alto e esperar até eles morrerem de infarto, o que não é muito potente já que eles podiam matar eles, destruir a Lua, se casarem, criarem uma família, entrar para um asilo até isso finalmente acontecer). Eles então fizeram um trato, Cydonia pararia de atacar a Lua e em troca eles deixavam o Muse colocar suas músicas nos filmes dos vampirinhos e quando eles conseguissem a dominação mundial Cydonia poderia ficar com o planeta contanto que os eles deixasse os polos para ser o estoque de queijo prontos para venda deles. Cydonia aceitou e voltou a confiar no projeto Muse, até porque era necessário ter um projeto reserva do projeto Lady Gaga, principalmente depois das pessoas perceberem que ela era uma cópia de tudo que já fez fama na Terra.

A banda criou uma música em homenagem a essa guerra, a famosa Neutron Star Collision, que trouxe muito sucesso para a banda porém fez eles perderem muitos fãs undergrounds que afirmavam que a banda não era a mesma, agora falando de guerras em vez de teorias conspiratórias... Essas bandas são todas iguais mesmo, começam falando de coisas diferentes e depois vem com esse assunto clichê de guerra nas estrelas, humpt! Mas a perda dos fãs indies não trouxe dificuldade para o plano de alienação de toda população, já que se o resto aceitasse a dominação por Cydonia e eles forem uma força de resistência, os outros exterminavam eles rapidinho o máximo que eles iriam fazer era criar uma comunidade no orkut chamada "Cydonia não é mais cool".

Perfil dos Integrantes[editar]

Matt Bellamy[editar]

Matt usando roupas emprestadas da Lady Gaga, muito medonho fashion!
Ainda no ramo da culinária, Matt trabalhou também como crítico de qualidade de bananas porque adora uma

Matthew Topogigio Bellamy conheceu seus futuros companheiros de cama de banda na escola, onde sofria de bullying por ter uma voz de menininha por ter suas cordas vocais anormalmente pequenas. Até que um dia descobriu que podia usar isso em seu favor e começou a atordoar seus adversários colegas com sua voz de taquara rachada enquanto seu amigo gordo forte Chris Wolverine Wolstenholme batia neles. Enquanto isso Dominic se dava bem com as garotas por causa das suas roupas Restart descoladas. Tudo isso e mais um pouco de ódio pelas bandinhas pops da sua cidade, instrumentos comprados no 1,99, teorias conspiratórias, álcool, drogas, fãs undergrounds para comer e mais drogas fizeram eles criarem uma banda.

No começo Matt não queria ser o vocalista (lógico, com uma voz como essa nem eu iria querer!) mas acabou aceitando porque sabia que iria ficar mais famoso que todos os outros ninguém mais queria. Seu jeito de cantar é considerado único lógico ele é o único que imita o Thom Yorke! ou não. Com seus cacetes falsetes ele consegue fingir muito bem que é uma mulher fazer que sua voz vá a tons tão agudos que faz você pensar que alguém está morrendo. Isso para você, mero terráqueo com inteligência inferior, pois na linguagem intergalática seus gritos significam um chamado de resgate, seu maior sonho é voltar para Cydonia.

Ele espera eternamente para que um príncipe encantado venha alguém de sua espécie venha resgatá-lo da terra e voltar para seu planeta natal, mas ninguém nunca veio. Por isso vive lendo a literatura que os humanos escrevem sobre seus parentes alienígenas, para ver se descobre indícios que eles já passaram por aqui. Segundo ele não tem nada naquelas teorias conspiratórias, é tudo um monte de bobagem que os humanos escreveram sob efeito de narcóticos.

Cogumelos receitados para Matt. Isso só pode ser composto por kriptonita

Aos 5 anos foi constatado que Matt tinha alergia a carbono, ou seja, não podia comer nenhuma comida da Terra (porque a maioria da vida terrestre é composta por cadeias carbonicas [8]. Assim, o médico receitou ele fazer uma dieta baseada em cogumelos alienígenas, providenciava todos os nutrientes necessários para ele e ainda previnia a depressão porque deixava ele muito feliiiiz. Matt tinha uma plantação de maconha de cogumelos privada para eles não se expalharem pelo mundo, mas ele esqueceu que os esporos são levados pelo ar e acabou que cresceu em outros lugares e logo as pessoas resolveram comer porque eles tinham uma aparência bonitinha e simpática. Porém quando os seres humanos comiam os cogumelos radioativos eles sofriam reações estranhas, como ver elefantes coloridos, porcos que voam, achar que o Acre existe e que Cine é rock. Assim o governo proibiu o consumo dos cogumelos, porque daqui a pouco as pessoas iam achar que Jeremias deveria ser presidente.

Recentemente ganhou o premio de artista mais sexy do mundo da música segundo uma votação de pessoas cegas da NME. Algumas pessoas dizem que ele é bonito sim, a culpada é a gravidade da Terra que achata seu rosto, pois em Cydonia ele não tinha esse tipo de problema.

Chris Wostenholme[editar]

Chris ao ser preso por tocar um show bêbado. Olha sua cara de delinquente!

Conhecido por ser o único da banda que não é gay emo indie, é alto, macho, gordo e bêbado. É o baixista, e como todo baixista que se preze é o membro menos importante da banda e não faz nada para mudar isso. Muitos o consideram um inútil que faz backing vocal em Supermassive Black Hole, mas é ele que mantém a banda na zona de "normalidade", porque se fosse por Matt todas as músicas falariam sobre alienígenas que vão dominar o mundo e por Dom bem, tanto faz, contando que ele coma alguém no final.

Ele é o único membro normal da banda, não lê teorias conspiratórias, nem fica dias comendo cogumelos coloridinhos, é macho mesmo porra! Toma cerveja com pinga junto com Jeremias e seu cachorro. Ele diz que não faz a mínima idéia dessas viadagens paradas que Matt escreve nas músicas, só espera que ele não esteja xingando ninguém apesar de que se estiver xingando sua sogra ele ia gostar.

Por ser tão diferente do resto do grupo sofre por bullying pelo seus coleguinhas e acaba sendo excluído dos assuntos da banda, como, sobre o que passou no último episódio de The Big Bang Theory, novas formas de produzir energia nuclear e como evoluir um Nincada para Shedinja. Ele é tão excluído do grupo que todos os membros já foram indicados como homens mais sexys, menos ele. Isso o deixa muito triste, apesar de não conseguir demonstrar isso porque não tem sentimentos não consegue expor seus sentimentos. O final de cada álbum é a época mais difícil, onde isso fica mais claro:

Cquote1.png Puta que pariu, minha vida é uma merda! Eu toco essas músicas esperando que eu ganhe respeito no mundo do rock, mas tudo que eu consigo são um monte de gurias retardadas que cantam as minhas músicas e nem sabem o meu nome. Na verdade, elas nem sabem que eu existo e que a introdução foda de Hysteria é MINHA! ISSO É UM SOLO DE BAIXO NÃO DE GUITARRA, PORRA!
Chris Wostenholme se lamentando de sua vida após muitas latinhas de cerveja


Depois de chegar nessa conclusão, percebe que precisa provar para si mesmo que deixou algo de útil para a humanidade, por isso decide ter um filho. Assim, sua esposa já fica preparada, pois sabe que depois de todo álbum lá vem trolha...

Um dia desses se estressou com uma poser de Muse, que na verdade é fã de Crepúsculo, quando a garota estava em seu show e perguntou onde a banda que tocava Neutron Star Colision estava, achando que ele era o segurança. Assim, ele estrangulou a garota mandou ela tomar no cu, e como ela era emo, isso fez ela chorar e cortar os pulsos. Os pais da garota processaram o Chris por ser um bobo, feio e chato maltratar sua filha, a partir daí o Chris criou uma raiva muito grande pelo crepúsculo e disse para a mídia que ver suas músicas nessa merda é igual a vender sua alma para o diabo. Isso impressionou muitas pessoas, porque ninguém sabia que ele falava.

Dominic Howard[editar]

Dominic ainda criança, já dissipando seu plano malígno por meio de teorias conspiratórias
Droll Howard?

Dominic, Dom, Super-ultra batedor de punheta ou Spider-Doman é o baterista da banda Muse, conhecido por ficar histérico durante os shows da banda, assim como todos os demais fãs retardados. Quando caiu na Terra, quicou três vezes até cair no buraco na cidade certa: Teignmouth, da região de Avon Devon. Quando era criança era fã de ficar batendo nas paredes, muito por culpa de um delírio pouco comum que o fazia ser louco para ouvir o estrondo BUUUUUUUMM que ecoava e lembra-o do desenho do Capitão Caverna.

Após quebrar sua mão mais de 30 vezes, sua mãe tomou vergonha nacara e pensou "ao invés de seguir gastando dinheiro com cirurgias e gesso, vou fazer os vizinhos gastarem com tampões de ouvido! MWAHAHAHAHAHA!" Deu no que deu. Dom ganhou sua primeira bateria e logo começou a fazer disso uma maneira de descontar toda a raiva que tinha por não ter descoberto isso antes, ao invés de ficar igual idiota batendo nas paredes como um condenado na cadeia. Quando está bêbado costuma ser confundido com Alex Turner. Bom, nem sempre, já que quase ninguém conhece os Arctic Monkeys mesmo...

Matt Bellamy o conheceu e logo viu que ele era dos mano dele mesmo. Ainda mais porque, mais do que Chris, ele é ligado em teorias conspiratórias, plagiadoras, e na teoria sobre a verdadeira idade de Glória Maria, que é um dos grandes segredos da maçonaria que Matt e Dom descobriram. Suspeitam que Chris Martin e a sua esposa, Thom Yorke, Barack Obama e, Al Gore, além de todas as pessoas que conhecem-os descobriram seus segredos (a idade de Glória seria um deles), e, desde então se fecharam num casulo com Chris Wostenholme para não deixar mais nada escapar. Por isso que até a Wikipédia falha em informações sobre Dom, a Uncyclopedia falha, a Desciclopédia falha, é tudo mentira, TUDO, TUDO O QUE VOCÊ ESTÁ VENDO AQUI É MENTIRA MEU SENHOR! MENTIROSO E CALUNIADOR! CALUNIADOR E MENTIROSO!

O autor está se recompondo. Aguarde enquanto eu pego um café para ele.

Obrigado pelo café. Bom, depois disso, há de se destacar alguns óculos de sol que ele usa. Você achou que era pra manter o style bem supimpa não é mesmo? Não. Isso emite micro-ondas que atingem ferozmente qualquer pessoa que o olhe nos olhos, provavelmente afetando o cérebro e essa pessoa não fica com dor de cabeça após ouvir um solo de bateria de Dom. Além de causar ereções desenfreadas em quem o olha nos olhos, tá aí o porque do sucesso entre os gays fãs de Twilight.

Álbuns[editar]

Showbiz[editar]

Sim, a padaria do Muse era do caralho

Cquote1.png Você quis dizer: Show Business Cquote2.png
Google sobre Muse
Cquote1.png É isso mesmo o que queríamos atingir! Cquote2.png
Muse sobre citação acima

Depois de alguns anos subornando alguns vizinhos com doces para parecer para as pessoas normais que a padaria tinha qualidade, visto o entra-e-sai que ela tinha, o Muse passou a vender doces em Londres e Manchester, ou seja, a tal expansão dos negócios. Encontraram um chef para patrociná-los e, finalmente, imprimiram seu primeiro livro de receitas, chamado Showbiz. Depois de vários folhetins, finalmente, veio o livro completo: Showbusiness - Como vender mousse em 2 dias. Veja os pratos as músicas (a tradução é uma cortesia do Google Tradutor):

  1. Sunburn - Mousse queimado pelo Sol. Foi quando Matt estava sem forno, visto que o mesmo havia quebrado após o mesmo ter certeza que tinha visto um ser humano lá dentro vai ver estava tentando fugir de Matt e ir pra um lugar tranquilo. Então, a gambiarra foi por ele ào Sol junto com as suas cuecas (o perigo era se caísse um leite que o Mousse não precisava ter. A cueca estava tão suja que a radioatividade que ela tinha (sim, a última freada de bicicleta que Matt fez naquela bagaça foi potente - culpa do Activia) atraiu um raio. E o mousse acabou queimando...
  2. Muscle Museum - Museu do Mousse. Sim, a inspiração para o ambiente da padaria era um Museu do Mousse, que fica na Homossexualle Ville, na França. Lá tinham todos os tipos de mousse possíveis, desde o feito de chocolate até o feito de fígado bovino com quiabo.
  3. Fillip - Filipe (João que não podia ser né?). Uma homenagem à um cozinheiro famoso (ou não).
  4. Falling Down - Descer descendo até o chão, chão!. Era o retrato que Matt fez da concorrência da área, um bar e uma pastelaria, que estavam perdendo clientes para sua padaria. Bom, na verdade é pura mentira, visto que pessoas de ambos os lugares saíam do bar/pastelaria pra comer algum mousse, o primeiro, os bêbados comiam mousse pra tirar o bafo de cerveja da boca e poder dizer pra esposa "Hoje eu NÃO bebi amor, olha meu bafo!", e, o segundo, pra tirar o gosto de vômito (sim, ou você acha que essas pastelarias são limpas?)
A entrega à domicício da padaria do Muse também foi marcada por ter funcionários super simpáticos. E por também entregar dorgas.
  1. Cave - (v.) 1. ato ou ação de cavar, abrir um buraco (tipo o do metrô de São Paulo) no solo Seria calvo. Era o retrato de Christopher Wolstenholme em pouco tempo, ainda mais se ele mantivesse sua cabeça próxima aquele aquecedor. Provavelmente os sedosos fios de cabelo que lhe restavam iam pegar fogo.
  2. Showbiz- Show Business, era o objetivo da banda. Essa música mostra ao mundo o plano que o Muse tem de finalmente fazer da Terra uma franquia de Marte, mas eles tem que controlar o sentimento para seguir aparecendo na mídia por enquanto.
  3. Uno - Uno, uma dupla homenagem, ao jogo que jogavam enquanto preparavam os mousses, e, ao carro que usavam para fazer as entregas (tinha pneus carecas, não tinha ar-condicionado e uma das portas não fechava - o carro era mais pelado que as mulheres que posam na Playboy)
  4. Unintended - Não entendi porra nenhuma. Não, eu também não entendi o porque dessa bosta estar aí, vai ver é uma música que retrata seus pensamentos durante o seu vestibular. Aí dá nisso.
  5. Sober - Subir pra cima e vai subindo, vai subindo - continuação do funk. Agora ele fala de sua própria padaria, que segue subindo porque estava virando um edifício sua clientela aumentava cada vez mais, e, seu sucesso também.
  6. Overdue - Overdose. Tudo a ver com os mousses, já que eles eram uma droga.
  7. Hate This & I'll Love You - Odeie isso e eu vou te amar. Sim, era pra odiar a NASA até ela reconhecer que Cydonia existe e só pelo Muse ter feito uns shows lá, já movimentou mais dinheiro e tem um PIB maior que o de muita cidade por aí.

Origin of Symetry[editar]

Sim, ESSA é a Origin of Symetry!
Reação de Seu Madruga quando viu que sua marca favorita de chocolates não ia plagear refazer um dos mousses divinos do Muse.

Em 2003, o grupo processou a Nestlé por divulgar uma receita de mousse secreta no rótulo de um de seus produtos, o Nescafé. Após isso a banda decidiu se vingar dando fórmulas do bombom Alpino para a Lacta, mas não deu resultado, visto que a Lacta é uma bosta se comparada a Nestlé a composição de ingredientes usada pela Lacta não foi tão boa. Também rolou problema com a Celine Dion, veja mais na música Feeling Good. O segundo álbum, Origin of Symmetry já veio com a banda famosa tanto pelos mousses quanto pelas músicas ruins.

  1. New Born - Ni Nasceu. Uma homenagem à Monty Phyton, que é um comediante da Inglaterra e Ni ni ni ni ni, ni ni ni ni, nininini ni. Como ele comia mousses da banda e falava mal dela falava sobre ela em seus shows de horror humor (bom, falando mal ou bem, o importante é ser lembrado!), ganhou essa singela homenagem.
  2. Bliss - Era pra se chamar Blitz, pois retrata quando a banda foi parada numa blitz após ingerir uma trufa de rum, ideia da banda pra não viver só de mousses. Mas exageraram na dose e foram pegos na Bliss [sic]. Se bem que realmente ninguém se preocupou quando falaram que trufa de rum era proibido...quem que come trufa de rum hoje em dia? Um pirata chocólatra obeso?
  3. Space Dementia - Dementes do espaço. Uma crítica ao sistema direta ao pessoal de Cydonia por ter decidido abandonar o projeto Muse e lançar o projeto Lady Gaga, e já até lançar um alimento pra elase destacar, no caso, frutas afrodisíacas carne de boi, que ela aproveitou num vestido e que de primeira fez mais barulho que o Muse e sua padaria.
  4. Hyper Music - Hyper Música. Outra música nada a ver com tema do álbum, provavelmente pelo nome hiper, deve ser grande, chata e sonolenta lembrando o Rock Progressivo, e...zzZzzzZZzZZZZZzZzzZzzZZzzzzZz...
  5. Plug In Baby - Pluga aí neném. A música conta a história de quando Matt estava com sua esposa (a dele, não a tua, animal) fazendo mousses, mas, logo começaram a se entreter com outra coisa...até o instante em que ele pede a guria para plugar algo dele nela.
O que Celine Dion pretende fazer com o Muse após perder o tal processo quando encontrar com a banda por aí: Cquote1.png Toma essa porra! MWAHAHAHAHAHA! Eu sempre preferi Radiohead mesmo! Cquote2.png
  1. Citizen Erased - Cidade dos Condenados pelo Mousse. Provavelmente essa cidade era Manchester, visto que Citizen é o apelido de um time pequeno mas cheio de grana de lá. E, como o Oasis é fã desse timeco, houve logo uma imposição de Noel e Liam Gallagher: quem comesse o mousse do Muse nunca mais poderia pisar no estádio do Oasis do Manchester e não era digno de ouvir nenhum álbum deles. Deu no que deu: o Manchester City nunca teve estádios tão vazios na sua história. Por isso que um sheik doidão comprou o clube e jogou um monte de jogador conhecido lá, pra fazer com que outros manés substituíssem os lugares que eram de fãs do Muse. Os condenados pelo mousse provavelmente não gostam mais de futebol, não é cult.
  2. Micro Cuts - Micro cortes. Era como deviam ser feitos os cortes na carne de texugo comprada pelo Muse para fazer o Mousse 100% diet, que seria feito com leite de texugo e com sabor de carne do mesmo.
  3. Darkshines - Mousses negros. Só pra não dizerem que o Muse é tão racista que nem mousse negro fazia.
  4. Feeling Good - Se sentindo bem. Era o último tweet de Dominic antes da criação do álbum. Muito por culpa de um processo contra a Celine Dion[9] do qual o Muse ganhou. Só assim mesmo para o Muse vencer algo em cima de artistas mais velhos renomados.
  5. Futurism - Turismo do Futuro. Uma previsão de como devem ser as viagens à lçugares que serão afetados em 2012, onde Veneza perderá a exclusividade de cidade-bacia d'água para outras milhares por aí. Bom, se bem que São Paulo já tenta ser isso antes mesmo de 2012...
  6. Megalomania - Melodramáticos. Só pra assegurar que ao menos uma música venderia bem pela internet com emos ricos. Ou ao menos seria recorde de download no 4shared.

Absolution[editar]

A entrada a que Matt se refere em Intro. Nos próximos CD's ele fará o Meio, Prato Principal, e, claro, a Sobremesa, onde a música deve ser bem doce.

Para variar processaram outra pessoa (obvio, eles são sem criatividade então precisam ganhar dinheiro de alguma forma ne...) a Stefhany por plagiar a palavra "Absoluto" de direitos autorais da banda. Stefhany negou que por estar traduzido os direitos autorais não valiam, mas coitada ela não tinha chances de ganhar o processo com os advogados contratados de Cydonia que controlavam a mente das pessoas fazendo-as acreditar que sempre o Muse estava certo que eram muitos bons e experientes. Assim, ela teve que pagar para a banda mais de 8 mil euros, mas como ela não tinha esse dinheiro teve que vender os direitos autorais da sua única música "Eu Sou Stefhany" e dar seu amado CrossFox para a banda.

  1. Intro - Entrada. Eu normalmente peço um couvert de queijos suíços, mostarda escura e salsichas alemães, casquinha de siri, carpaccio, talvez uma bruschetta mas para você um pão com manteiga ta muito bom (não, melhor sem a manteiga, fica enfrescurado demais com ela).
  2. Apocalypse Please - Tomara que chegue logo 2012! A música mostra a parceria de Cydonia com os Maias, que eram uma colonia marciana na Terra com a missão de impedir que os terráqueos destruíssem seu próprio planeta e fizessem tudo virar areia, (assim como aconteceu com Marte, Mercúrio, Vênus e todos os planetas que já tiveram vida inteligente ou não) pois todo o sistema solar já estava virando uma piada no Comitê Intergaláctico sendo reconhecido como o "lixão da galáxia". Aterrissaram na América e conseguiram ensinar seus povos vizinhos, os Incas, Astecas e índios americanos em geral, a preservar a natureza. Porém quando os europeus descobriram o continente, fudeu tudo e os únicos povos que tinham consciência da merda que a Terra ia se foram comprados por espelhos. Assim, os Maia voltaram para Marte desistindo de tentar convencer esses capitalistas a parar de destruir o planeta e rogaram uma praga especularam o tempo máximo que a Terra resistiria e chegaram à data de 2012.
  3. Time is running out - O tempo está acabando. Se refere ao prazo que Cydonia deu para o Muse dominar a Terra. O prazo era de 28 anos, se não Cydonia não pagavam a eles. Como esse prazo já expirou, o Muse está andando e cagando para entregar esse planeta, assim como o motoboy com seu sanduiche do Habib's, que ele já deve ter até comido a muito tempo.
  4. Sing for Absolution- Canção absoluta. A música que Stefhany teve que dar para a banda, acabou entrando no álbum...(é lógico, como eles iriam desperdiçar uma música assim? Deus castiga)
  5. Stockholm Syndrome Síndrome de Estocolmo. A música está relacionada com o acontecimento onde a banda foi sequestrada pela Stephanie Meyer. Durante o sequestro, Matt começou a simpatizar com a Stephanie, apesar dela querer explodir seus miolos com um raio mortal e ter aprisionado eles em queijo derretido (mas ela não era tão cruel, ao menos eles não morreram de fome!). Por isso o psiquiatra psicólogo de Matt disse que ele estava com a Síndrome de Estocolmo, também conhecida como Sindrome de Meu-Assaltante-É-Um-Cara-Legal onde o sequestrado acha que seu sequestrados é bonzinho, só sequestrou ele porque estava passando dificuldades e precisava de uma graninha, sacumé... Porém existem outras fontes que dizem que essa simpatia pela Stephanie não tem nada a ver com sindrome psicótica do sei-lá-o-que, e sim porque ele queria dar uns pegas nela. Nesse caso o diagnóstico dele seria outro, a Síndrome de Minha-Sequestradora-É-Uma-Gata.
  6. Falling away with you - Caindo da Ilusão com Você. Pois Matt tinha se apaixonado mesmo por Stephanie, mas ela tinha um dever a cumprir: não se apaixonar por Matt para não fazer com que as demais bandas que vendem músicas pra série não reclamem que o Muse ganha mais que as demais, só porque Matt namoraria Stephanie. Se isso acontecesse, as músicas saíriam muito caras e só teria Muse na trilha sonora de Crepúsculo. Por isso Matt decidiu usar essa música como uma homenagem à Stephanie.
Matt enquanto tocava Interlude. Até ele dormiu...
  1. Interlude- Introdução. Uma música para enxer linguiça do álbum, também para você conhecida como "hora da sonec... ZZZzzzzZzzZzZzZzzZ
  2. Hysteria AHHHHHH?!?!? QUE ISSO? Ahn, a música começou. Aff, eu tava dormindo, sonhando que já tinha terminado esse artigo... - Histerico(a). Sua namorada na TPM. Pode ser você quando fica no banheiro lendo revistas proibidas... Também é como sua mãe fica quando descobre isso.
  3. Blackout - Apagão. Conta o dia que a banda reuniu toda a energia da cidade para tentar fazer que sua Kombi nave de sucata levantasse voo para conseguirem voltar a Cydonia. O governo deixou eles utilizarem a eletricidade à vontade (porque queriam suas músicas irritantes o mais longe da Terra o possível, é lógico!) o que fez que um grupo de ambientalistas, hippies, vegetarianos fizessem passeatas pela rua para a liberação da maconha contra a banda por abusar da natureza. Mas como a nave era muito fudida beberrona acabou que o mundo inteiro ficou sem luz. Mas o governo conseguiu encobrir o caso convencendo a população que era a hora da Terra, o que fez os ambientalistas felizes e enganaram um monte de babacas que desligaram suas luzes nessa hora e não sabiam que mesmo se tentassem ligar elas não iriam conseguir!
  4. Butterflies & Hurricanes - Efeito Borboleta. Sabe aquele ditado que fala que um bater de asas de uma borboleta pode formar um furacão no outro lado do mundo? Bem, é sobre isso que a música fala, com um pouco de dorgas teorias conspiratótias, claro. A banda tentou se dar bem denovo processando o filme "Efeito borboleta" por utilizar o nome, só que dessa vez não conseguiram êxito no processo porque o juiz de tanto receber lavagem cerebral se tornou imune a ela e percebeu que o processo era uma idiotice. A banda acabou se fudendo e agora tem que pagar direitos autorais para os criadores do filme cada vez que toca a música, explicando assim a razão da banda de estar tocando cada vez menos ela.
Após a canseira registrada em Endlessly, a banda finalmente comemorou o fim dessa bagaça. Como sempre, Matt e Dominic abandonam Chris. Ah, mas ele é baixista mesmo, todo baixista é...é...inútil. E ninguém sente falta dele. Ou você sentiu?
  1. The Small Print - O pequeno print. Conta a história de uma tecla solitária, o print screen, que morava no centro do teclado. Porém havia a gangue do "Copiar e Colar", que eram os Ctrl-C + Ctrl-V que não gostavam dela alí e viviam infernizando a vida do coitado print dizendo que ele não servia para nada, já que o copiar e colar fazia a mesma coisa e só nerds punheteiros sabiam a utilidade dele. Só que na verdade a gangue tinham ciúmes da tecla que era bem mais complexa, podendo copiar tudo na tela, até o browser da pagina de internet, que era o maior sonho do Ctrl-C e do Ctrl-V. Até que um dia o coitado do print não aguentou mais a pressão da cidade grande e se mudou para o subúrbio do teclado, junto com o Scroll Lock e o break, que começou a viver uma vida pacata e tranquila e passou para o anonimato...
  2. Fury - FFFFFUUUUUria. Momentos tensos da banda que deixaram eles FUUUUUUUUriosos da vida, como quando nos seus shows as pessoas começaram a chamar por "Edward Cullen" ou quando deixam de comer seus mousses para comer uma salada de frutas para não engordarem.
  3. Endlessly - Essa porra é interminável. Sim, ninguém mas estava aguentando o álbum, nem a própria banda.
  4. Thoughts Of A Dying Atheist - Pensamentos de ateísta vagabundo moribundo. Música que inspira os indies a se suicidem para saber se quando você está morrendo você fica pensando nas coisas que a música fala. Assim, ela ganhou o prêmio Nobel da paz por fazer a população de indiotas do mundo diminuir porque acabar com essa raça iria trazer paz para o mundo.
  5. Ruled by Secrecy - Rulado pela secreção. Uma homenagem a vida de vários nerds que sacrificam sua vida social e tem falta de mulher contato com o meio externo para poder fazer do mundo um lugar melhor (criando mais MMORPG, novos sistemas operacionais, novas redes sociais, por mais que façam isso roubando a idéia de alguém), porém tem como consequência desse ato nobre de nerdiar constantes crises alérgicas, que fazem seus narizes ficarem escorrendo e não conseguem garotas por causa disso. Ou seja, forma-se assim um círculo vicioso, sem sair pra pegar mulher você fica doente e doente você não consegue pegar mulher. Assim, o plano da secreção está completo.

Black Holes and revelations[editar]

A homenagem à Cydonianos é até na capa. Da direita pra esquerda: O presidente, vice-presidente, presidente da Câmara dos deputados e Presidente do Senado Federal Cydoniano.
Matt encarnando Alborguetti mandando todos pra merda profetizando que todos vão pro Inferno em Take a Bow...se seguirmos ouvindo Muse sim, vamos pro Inferno, e o pecado foi ouvir música ruim.

Cquote1.png Não gostei desse álbum. Cquote2.png
Skinhead sobre Black Holes and revelations
Cquote1.png Você quis dizer: Rolas pretas e suas revelações Cquote2.png
Google sobre Muse
Cquote1.png Gostei desse álbum! Cquote2.png
Seu pai sobre Rolas pretas e suas revelações Black Holes and Revelations

O álbum é quase um pedido de socorro da banda para o pessoal de Cydonia, visto que a banda já estava até com dificuldades de fazer os mousses, visto que eles ficavam com buracos pretos inexplicavelmente, mesmo com todoo fermento jogado em cima do mesmo. Como Matt, provavelmente em mais um momento de loucura havia tentado numa noite qualquer um contato com cydonianos, e, imaginou que eles pediram algo em troca. Em muito, um hino para Cydonia, visto que a qualquer momento um milagre podia surgie e a independência e reconhecimento do local como uma nação fora do planeta podia chegar. Eis que surgia Cavaleiros de Cydonia, junto desse álbum de socorro do Muse pra voltar a ter investimentos do lugar de Marte.

  1. Take a bow - Pegue um mousse. Para voltar a tentar colocar os mousses no TOP de vendas do Reino Unido junto com os últimos CD's da banda (não, os CD's estavam no TOP -10, mas, sigamos), a ideia era voltar a popularizar o mesmo, o distribuindo em vários locais, como supermercados, loja de departamentos, e, até em puteiros (sabe, pra adoçar a relação). Nessa música ele diz que você vai pro Inferno por culpa de seus pecados. E, sim, ele sabe o que você fez no verão passado.
  2. Starlight - Era o que Matt mais queria, uma luz caindo do céu em que surgiam os Power Rangers ET's informando que voltariam a investir no mesmo, ainda em tempo de não precisar recorrer ao Crepúsculo para seguir o projeto inicial.
  3. Supermassive Black Hole - Aquela música do Crepúsculo Supremo Buraco Negro. Lá era o grande medo dos integrantes da banda, de, um dia parar lá como forma de pena das autoridades de Cydonia por fazer da mesma virar motivo de piada a ponto de ser citada até na Desciclopédia.
  4. Map of the Problematique - Mapa dos pobrema problemas. Era uma lista com todos os problemas que o Muse tinha para se adaptar a tal terra...Um exemplo era ter que (re)lavar o cérebro dos retardados que gostam de coisas como NXZero ou Good Charlotte (não que o Muse seja muito melhor que isso). Outra era que a sola dos sapatos se gastavam muito rápido, muito porque o asfalto da Terra quiemava as solas, e, o de Marte não queimava-as. Bom, basta a banda ir se apresentar numa área com excesso de pobres (onde está sua residência, por exemplo) para ver como é pisar na lama (certamente quando há um buraco na sola e aquela lama geladinha entra pelo sapato e encosta no seu pé que é mais esculachado que Bruna Surfistinha você até tem um alívio. O Muse sentiia a mesma coisa, não?).
Dom tentando inspiração pra fazer o álbum.
  1. Soldier's Poem - Poema do cozinheiro. Bom, música lenta e romântica que homenageia os cozinheiros do mundo inteiro. Bom, pode ser uma auto-homenagem de Matt, mas, vamos deixar o Muse ser legal ao menos uma vez e consideremos isso como uma homenagem à alguém que não sejam eles mesmos.
  2. Invincible - Lembra do tempo em que eles eram imbatíveis no mousse. Vide os versos During the struggle they'll pull us down, but please let's use this chance to turn things around. Bom, se tu não sabe inglês, foda-se vai no Google Tradutor. Se ainda não entender, foda-se de novo vai no letras.com. Mas se você não entender, você precisa de uma séria ajuda...
  3. Assassin - Mousse do Serial Killer. Edição especial em que quem comprava um Mc Mousse Feliz ganhava como presente um boneco representando algum personagem que lembre um Serial Killer.
  4. Exo-Politics - Mousse do político ladrão. Outra edição especial, feita mesmo pra cobrir o desespero da queda de vendas, onde o presente era uma répica em miniatura do José Sarney - perfeito para espantar baratas.
  5. City Of Desilusion - Homenagem à São Paulo.
  6. Hoodoo - Guru do mousse. Uma tentativa foi contratar Pai Mariola das Três Agulhas, um experiente pai-de-santo vidente que pode ver talvez o problema que tenha ocorrido. Ele tentou até fazer voodoo com bonecos do filme E.T., mas, não deu certo.
  7. Knights of Cydonia - Cavaleiros de Cydonia, o hino tão esperado e tão pedido pelo povo da área. Seria a forma do Muse reconquistar a confiança do pessoal de Cydonia. A música lembra uma batida de cavalgada, é porque Matt fez isso em meio à uma corrida de cavalos - ele tinha apostano no de nome Cometa Ligeiro isso lembra força (?).
  8. Glorious - Glória à Cydonia. Seria o equivalente ao Hino da Bandeira no Brasil, que ninguém sabe, ninguém conhece, e ninguém realmente precisa saber como se canta. Tanto que nem os fãs do Muse conhecem essa bagaça.

HAARP (o do show no Wembley, mula!)[editar]

Cquote1.png Ué, num tem Uprising? Nem Undisclosed Desires? E nem Neutron Star Collision?? Então isso aí é uma merda! Cquote2.png
Idiota sobre HAARP

Vide as tais antenas, e, um telão de culto ao Mestre-Deus Sabre de Jedi Sir Matt Bellamy.

Faltava uma grande obra do Muse. Aquela coisa que espantaria todos, e, faria deles uma banda de confeiteiros completa. Fazer milheres de mousses ao vivo num estádio de futebol em frente à quase 90.000 pessoas. O local escolhido foi o Wembley...Os fornos de padaria eram os melhores, tudo foi gravado. Tudo foi perfeito. O nome HAARP (Hora de Abduzir e Aniquilar Retardados Playboys) se referia às antenas gigantes para experimentos na ionosfera da Terra, por isso são localizadas em lugares sem população como a Antártica, Ártico (nesse caso a população é somente de macacos), Groelândia e Acre.

Elas foram contruídas primeiramente para mandar ondas de rádio super potentes para levar a Radio Muse para o cenário intergalático. Mas com o tempo foram percebendo que essas ondas podiam voltar para a Terra e se expalhar por ela atingindo os humanos, que captavam essas ondas virando receptores da Rádio Muse. Assim a mente deles eram controladas pelos comandos das músicas, que era o que eles sempre quiseram. MUWAHAHAHAHA.

Sendo assim, em Plug In Baby, milhares de pessoas, ao ouvir a música, ligaram todos os equipamentos elétricos de suas casas em simultâneo, o que causou grandes consequências na humanidade em relação à falta de energia, uma delas foi uma precariedade no setor elétrico brasileiro, que se acumulou com o tempo e logo culminou no Apagão elétrico de novembro de 2009. Na Inglaterra foi possível ver que a Rainha teve que tomar seu chá tradicional frio, pois também faltou energia em Londres.

Matt arrumando as ligações das antenas. Tudo tinha que dar certo dessa vez.

Desde então ela chegou a fazer com que Matt nunca recebesse o título de Sir como Paul McCartney recebeu. Mas Matt foi se desculpar tocando pra rainha, e, claro, lavando a mente dela pra que tudo voltasse ao normal. Se os Sex Pistols tivessem esse dom, era bem provável que a anarquia fosse o sistema de governo adotado na Inglaterra atualmente.

O repertório foi escolhido de acordo com as músicas que deixavam os fãs mais pirados de início, vide, as músicas que mais esperavam, para comer os mousses sem se concentrar direito no que faziam e facilitar a emissão da sondas de rádio. Depois tudo ficou meio lento...Vide, para deixar o pessoal dormir um pouco para ficar preparado para morrer queimado no Inferno segundo a música final da banda no show, Take a Bow. Bom, morrer queimado no Inferno...Torcedores do Manchester United que estavam ali presentes piraram de loucos e satisfeitos ao ouvir isso. Alguns retardados que também são metaleiros também, e, passaram a ser ainda mais chegados ao Muse.

A estratégia estava funcionanado, porém os HAARPs tinham que ficar eternamente ligados porque sem ondas de rádio, não tinha controle mental e sem controle mental, não existiam fãs abobados. Essa era a última tentativa de dominação mundial, agora tinha que dar certo! Mas a vida é uma caixinha de surpresas e os HAARPs começaram a não só afetar os humanos como o planeta Terra criando alterações no clima, terremotos, tsunamis, ou seja, toda essa merda que está acontecendo no mundo.

Já que não havia previsão para eles voltarem para Cydonia, o planeta tinha que resistir até antes deles irem embora, isso fez que eles abandonassem o projeto e voltassem a criar a próxima última tentativa de dominação mundial...Ou seja, chega de show no Wembley e tiveram que voltar aos estúdios para voltar a fazer isso aos poucos e pacientemente, daí surge o The Resistance

The Resistance[editar]

Rua em que Jeremias foi achado bêbado é representada na capa do CD.

O álbum é mais uma critica a resistência da Terra em reconhecer Cydonia como território independente. A capa mostra a via que se deve pegar para ir de Marte para a Terra, no dia em que a foto foi tirada o trânsito estava vazio com somente um bêbado no meio da rua, coisa que não é muito comum (quero dizer, o fato da estrada estar vazia não é comum, pois sempre tem um bêbado retardado no meio da estrada atraído pelas cores coloridas que acaba sendo atropelado por sem querer). Os toques coloridos psicodélicos também podem significar uma homenagem aos seus fãs: nerds que amam geometria e malucos gostam de uma viadagem "viagem espacial".

  1. Uprising - Quero ver todo mundo de puta revoltz fazendo rebelião! A música mostra mais uma tentativa de usar seus fãs inúteis, covardes e altistas preguiçosos como escravos soldados de batalha instigando-os a sair do conforto de casa e abandonar seus amados computadores para fazer uma rebelião em favor da dominação de Cydonia completando finalmente a missão do Muse na Terra. Mas é lógico que não ia ser fácil assim, até porque a maioria deles foram espancados ao sair de casa.
  2. Resistance - Não desistam! Como a primeira tentativa de levar seus fãs às ruas não deu certo, eles tentaram denovo (aliais, quem não arrisca não petisca!). Tentativa que foi inútil novamente, pois a maioria nunca mais saiu de casa com medo de apanharem denovo e os retardados corajosos que tentaram novamente morreram (WEEEEEE!! MENOS INDIES PARA A HUMANIDADE!!).
  3. Undisclosed Desires - Desejos secretos. Dizem que segredos obscuros da banda nunca revelados aparecem nessa música... Nesse caso, podemos a partir de versos concluir alguns deles:
  • "I want to reconcile the violence in your heart" = a vontade de ser um psicólogo para tratar de ex-presidiários e talvez conseguir coisas extras com eles...
  • "I want to exorcise the demons from your past" = a vontade de ser um pastor evangélico e libertar as almas da música ruim do demônio
  • "I want to satisfy the undisclosed desires in your heart" = Você sabe o que...
Uma ideia pra facilitar o Plano de Dominação Mundial pelo Muse, a ideia era popularizar os Mousses: Surge a Dança do Mousse, mostrada acima. Apesar de parecer mais a Dança da Geléia...
  1. United States Of Eurasia - Estados Unidos da Eurásia. Segundo o plano de dominação mundial, após monopolizar o comércio de mousse nas áreas de maior influência da Terra eles iriam fazer desses lugares dependentes dos seus mousses e por final deixariam ser colonizados contanto que pudessem comer mousse de graça. Assim o Muse criaria um grande império chamado Estados Unidos da Eurásia que é uma homenagem a mãe de Matt, Eurásia Bellamy é a união dos Estados Unidos, Europa (que influenciariam o resto do mundo a deixar serem dominados também, já que são todos baba-ovos deles) e Ásia (que é o único lugar que não baba-ovo de ninguém, só baba pelos mousses).
  2. Guiding Light - Luz Guia Transportes Públicos (linha 666). Toda noite a banda fica olhando pro céu procurando um OVNI que aparece como uma luz no céu que os guiará de volta para Cydonia. Já encontraram várias, mas nenhuma tinha parada em Cydonia, e as que faziam tão lotadas que nem conseguiam parar na Terra. Morar no subúrbio é uma merda ein...
  3. Unnatural Selection - Seleção natural no mundo do contra. Muse achou muito falho a seleção natural da Darwin, principalmente nos dias de hoje onde os mais poderosos não são os mais fortes, e sim os mais ricos que são os nerds e com certeza não são nem um pouquinho fortes. Assim, eles lançaram seu próprio livro da teoria da evolução, a Origin of Symetry a Origem das Bizarrices, que mostra que não existe uma seleção natural, e sim uma sobrenatural. O livro explica a Teoria da Improbabilidade, que quando uma coisa é infinitamente improvável de dar certo, ao mesmo tempo é infinitamente provável de dar certo, pois o infinito não tem começo nem fim. Essa teoria foi de grande valor científico para a sociedade moderna, pois explicou o surgimento de coisas idiotamente improváveis como Justin Bieber os onitorrincos, e o desaparecimento de coisas extrememente lógicas e prováveis, como o Rock pássaro dodô.
  4. Mk Ultra - Mortal Kombat Ultra - Passatempo da banda enquanto compôs o álbum ou não será que compor o álbum era um passatempo enquanto eles jogavam Mortal Kombat?
  5. I Belong To You/Mon Coeur S'ouvre à ta voix Eu pertenço à você/Mas corro se ouço tua voz - Uma música romântica para agradar as gurias retardadas e os fãs cults ao falar francês ou pelo menos fingir que estão falando, já que falar ou fingir dá na mesma pelo fato que a maioria dos fãs não iam entender o que ele estaria falando e mas mesmo assim iam gostar só por estar em francês (mesmo se eles falassem "vous n'êtes pas cult").
  6. Exogenesis: Symphony - Sinfonia do exagero. É uma junção de todas as melodias no piano que Matt compôs que não se encaixavam nas músicas de rock. Eles então juntaram tudo e fizeram uma sinfonia porque Chris e Dom estavam com preguiça de compor algo para poder acabar logo com o álbum e não perder mais tempo, já que tempo=dinheiro, e dinheiro=poder. Mas o poder=controle da Terra, e controle da terra=(π.cydonia feliz)². Assim, a equação ficou complexa demais para eles, o que era um exagero pois era só utilizar π=3,14. Mas pelo menos assim eles tiveram uma idéia para o nome da sinfonia. A idéia inicial era fazer ela em 42 partes, mas acabou sendo só 3 mesmo por falta de criatividade de composições:
  • Exogenesis Part I (overture) - Parte um: cuidado com a overdose de mousses.
  • Exogenesis Part II (cross-pollination) - Parte dois: como cortar a Polly da sua irmã
  • Exogenesis Part III (redemption) - Parte... Ahnn, me rendo, isso vai acabar aqui e foda-se.

The 2nd Law[editar]

The 2nd Law, é a lei que, segundo os Cydonianos(?), reconhece a independencia de Cydonia.

  1. Supremacy - Supremacia de Cydonia, os mousses afirmam que Cydonia derrota a NASA ao ponto desta reconhecer Cydonia.
  2. Madness - Música de insulto a NASA.
  3. Panic Station - Fala sobre o 1º concerto do mousse para 3 pessoas em que essas mesmas ficaram sem tímpanos, e o Buzz Lightyear teve de intervir para parar os gritos Ahhhhhhhhh yooo aiiiiiiii ehhhhhhhhhhhhhh guuuuuuuuuu ahhhhhhhhhhh
  4. Prelude - Serve para dar o intro ao hino vitorioso de Cydonia.
  5. Survival - Hino da vitória Cydoniana.
  6. Follow Me - Diz para os terrianos, Chuck Norris e a puta que o pariu seguirem os Muse até Cydonia.
  7. Animals - Fala dos animais da NASA, que sao uns autênticos palhaços.
  8. Explorers - Fala sobre a história do mousse quando chegaram a terra.
  9. Big Freeze - É o plano de Matt para congelar a Terra e assim controlar tudo.
  10. Save Me - Pedido de resgate, estão a ficar fartos da Rainha Isabel II.
  11. Liquid State - 2ª parte do plano maquiavélico de Matt (que para não dar nas vistas colocou Chris a cantar). Depois de Big Freeze, Matt planeia derreter a Terra até ao estado líquido, desaparecendo do sistema solar.
  12. The 2nd Law: Unsustainable - A terra é insuportavel caralho!
  13. Isolated System - Última parte do congelemanto terraqueo

Drones[editar]

Poucos sabem, mas um dos grandes sonhos do menino Dominico Howard era ser uma abelha. Abelha rainha, aliás, sonho esse que lhe rendeu o título de queen bee do colegial, e lhe rendeu seu primeiro namoradinho, Matheus Bélami, seu zangão. E como Matt estava solteiro, lembrou das fantasias sexuais da adolescência e jogou de forma oculta no nome do album, jogando por cima um pano conceitual de conspirações, zetas, capitalismo, fim do mundo, e todo o blá blá blá que vimos nos outros albuns. Assim nasceu drones.

  1. Dead Inside - Uma vez corno, sempre corno, é como eu sempre digo. Matt escreveu Dead Inside depois de levar um pé na bunda de Kate Hudson, que lhe trocou pelo Chris Martin, pelo Personal Trainer da Academica, pelo Thom York, pelo Ricardão, pelo Alexandre Frota, pelo Silas Malafáia, pelo seu pai, pelo seu vizinho, pela sua mãe, e por todos os machos que via pela frente, enquanto o pobre Matt se encontrava morto por dentro.
  2. Drill Sargeant - Dois retardados do exército cydoniano gritando um com o outro pra encher faixa nessa bosta de album, para o Muse não ter que fazer mais música.
  3. Psycho - Uma curiosidade sobre essa faixa é que retrata a vida do Chris na adolescência, que pegava novinha - e pega até hoje - dizendo que a sua bunda pertence à ele agora. Técnica bem popular também no Brasil, criada por Mr. Catra. Tudo indica que pode haver um Psycho FEAT. Mr. Catra muito em breve, embora o medo das autoridades que zelam pela taxa populacional mundial, que não sabe o que esperar de um encontro entre Mr. Catra e Chris Wolstenholme.
  4. Mercy - Matt, ainda com sua dor de corno no cu, pede misericórdia pelo consolo de Dominic, que por sua vez faz a difícil, mostrando que é puta de respeito.
  5. Reapers - Uma canção de orgia, onde Matt conta suas experiências homo afetivas de forma mascarada por um monte de mimimi conceitual.
  6. The Handler - Matt continua em sua odisseia de lembranças sexuais e conta a histórinha do dia em que Dominic o amarrou na cama e o dominou.
  7. JFK - John [fuckin fuckin fuckin fuckin little fuckin fuckin little fuckin fuckin fucker yeah] Kennedy. - Mais um monte de nada pra encher linguiça pra falta de música desse album.
  8. Defector - Matt se liberta da porra toda e sai por ai cantando que agora está solteiro e ninguém vai lhe segurar (daquele jeito).
  9. Revolt - Uma vez liberto de toda baboseira, carência e sofrência de amor, Matt vê que o mundo a sua volta está uma merda e se revolta. E o que ele faz? Escreve uma música bostinha bem ao estilo de bandinhas bostas de filmes ruins, cujas músicas você escuta descendo uma colina com seus amigos enquanto tira selfies com uma polaroid para postar no seu instagram de feed. Tipo as músicas de abertura da Disney, ou qualquer uma do Justin Bieber.
  10. Aftermath - Essa música representa o quanto você é idiota quando se importa com os outros mas é completamente menosprezado e trouxa quando os outros não ligam pra você.
  11. The Globalist - Matt quer dominar o mundo e ser o novo Queen. Para isso, tenta expressar nessa música tudo o que passa por sua cabecinha (de cima) doida, neurótica, criativa cydoniana. Joga um monte de nadas na música e sai uma obra de arte.
  12. Drones - Muse desiste da carreira, se converte e vai cantar na igreja do Silas Malafáia.

Imagens[editar]

Ver Também[editar]

Referências

  1. Algumas pessoas afirmam que ao invés de açúcar mascavo, foi usado açúcar cristalizado, o que pode explicar o modo elegante de Matt
  2. Numa primeira instância chegou a ser chamado de Bilu, mas desistiram desse projeto até o ano de 2010, quando decidiram chutar o pau da barraca e mandar um Bilu pra cá
  3. Alguns dizem que o meteoro partiu de Marte mesmo, uma tentativa de estragar colheitas de trigo na Terra. Ou é mais um teste de aquecimento para acertarem uma cidade como Nova Iorque ou Londres, isso se a Al-Qaeda não tratar de fazer isso antes
  4. Ou seja, se você quiser ficar mais jovem, caro descíclope, estude pra ir pra NASA e torça para que façam merda no seu foguete para ele ir mais rápido que o esperado, com isso você ficará mais jovem rapidinho.
  5. Para alguns foi um tomate, amora e figo, que deveria terminar de um modo gótico, mas ficou emo
  6. Exceto se essa padaria for do Manolo, já que manolagens não são nada alternativas e indies. Mas, toda padaria é de um manolo. Sim, este é mais um paradoxo. Vai ver é porque como não tem dinheiro pra ir num Starbucks, vão numa padaria 'mais estilosa' mesmo
  7. Dizem que o cara estava bebendo tequila sem parar, e já chamando a mesma de teuqisla
  8. Se você dormiu nessa aula e não quer zerar a prova procura mais informações veja: química orgânica
  9. Ela queriacomprar os direitos do mousse Romântico por $50,000. O Muse recusou afirmando que Celine Dion faria dos mousses do Muse mais melosos do que já são, com aquele jeito dela. Além de o medo de Celine fazer um mousse mais elegante que o original do Muse, o que faria Matt se matar e ser ainda mais idolatrado pelos miguxos.