Kid Abelha

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Placa80.svg

Este artigo discute coisas intrínsecas aos Anos 80's!
Com certeza, ele já vivia nos tempos do acidente em Chernobyl.

Passarinho.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!

Kid Abelha
Kid.jpg
26 anos de carreira e nenhum dos dois manés conseguiu comer ela... É... eles são umas bichonas mesmo.
Origem Rio de Janeiro
País Brasil
Período 1981 - até quando a Paula Toller tiver com tudo em cima.
Gênero(s) Techno-pop-rock-new wave, com pitadas de jovem guarda e muita frescura, uma mistureba de merda...
Gravadora(s) WEA e Universal do Reino do Edir Macedo
Integrante(s) Paula Toller, George Israel e Bruno Fortunato
Ex-integrante(s) {{{exintegrantes}}}
Site oficial {{{site}}}


Cquote1.png Você quis dizer: QI de abelha Cquote2.png
Google sobre Kid Abelha

Cquote1.png Experimente também: Kid Bengala Cquote2.png
Sugestão do Google para Kid Abelha
Cquote1.png Doutor, isso é uma tarada gostosa, que canta com um bando de bichonas!!! Cquote2.png
Severino sobre Kid Abelha
Cquote1.png Traveca! Cquote2.png
Cazuza sobre Paula Toller
Cquote1.png Ela é minha! Cquote2.png
Bruno Fortunato sobre Paula Toller
Cquote1.png Não, é minha! Cquote2.png
George Israel sobre Paula Toller
Cquote1.png Foi minha, se fuderam! Cquote2.png
Leoni sobre Paula Toller
Cquote1.png Minha também! Cquote2.png
Herbert Vianna sobre Paula Toller
Cquote1.png Fanfarrões! Ela é minha! Cquote2.png
Capitão Nascimento sobre Todos
Cquote1.png Não, é minha!!! Cquote2.png
Chuck Norris sobre comentários acima
Cquote1.png Sim senhor!! Cquote2.png
Todos sobre comentário acima

Kid Abelha foi um grupo pop-rock brega, do Rio de Janeiro (só podia ser, se fosse de São Paulo seria MUIIITO pior), um dos que mais ajudaram a firmar o pop-rock brega brasileiro desde a década de 1980, composto por Paula Toller, George Palestina, digo Israel e Bruno Fortunato.

A versão pedófila infantil de Paula Toller

Como surgiu essa merda?[editar]

Integrantes do Kid Abelha, no início da carreira.

O grupo formou-se no final de 1981, com o nome Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens.

O início[editar]

Tudo começou quando três jovens, Pedro Farah (guitarras), George Israel (sax), Leoni (baixo) e Beni (bateria) conheceram uma moreninha gostosa chamada Paula Toller (que nessa época ainda não pintava os cabelos de loiro e cortava o cabelo no famoso corte joãozinho). Como em todas as "galeras" onde têm muitos homens e só uma mulher, todo mundo começa a querer comer, digo, compor com a Paula e ela começa a ser disputada pelos rapazes, algumas vezes, até no tapa.

Para dar uma desculpa aceitável para estar sempre do lado dela, os rapazes resolvem montar a famigerada banda e chamar ela para ser a vocalista. Mas daí, Paula Toller começou a estranhar, pois a banda NUNCA ENSAIAVA. Aí os rapazes viram que iam ter que pôr a mão na massa, se quisessem mesmo um dia por a mão na Paula.

Em 1982, sai uma fita demo, com as músicas Distração (música que contava claramente a intenção de distrair a vocalista, para que ela não soubesse de nada) e a regravação de Valdick Soriano Eu Não Sou Cachorro Não. Eles mandam a fita para a Fluminense FM uma rádio comunitária (PIRATONA MESMO) que como não podia tocar nenhuma música dos grandes "medalhões" da MPB, pedia humildemente para que grupos lhe fornecessem fitas demo, não importa quanto ruim o som fosse, simplesmente para a rádio não fechar suas portas. O sucesso relativo das músicas leva a banda a tocar no Circo Voador, uma casa alternativa de espetáculos, montada na praia do arpoador no Rio, frequentada por prostitutas, travestis, homossexuais, drogados e cheiradores de gatinhos. Lá também se apresentavam outras bandas infames, como Barão Vermelho e a famigerada Legião Urbana. Graças ao sucesso desses shows de 5ª, o grupo participa da coletânea Rock Voador.

As primeiras mudanças[editar]

Pedro Farinha cheirou tanta "farinha" que acabou tendo que sair da banda direto para uma clínica de desintoxicação onde permanece até hoje. Surge em seu lugar, também interessado em disputar a Paula, o doublé de guitarrista Bruno Fortunato. Beni Benassi também sai da banda para virar DJ. É substituído por Rony Cócegas.

O "sucesso" continua[editar]

Paula: "Não vai pegando confiança não, viu George? Tô só posando pra foto de publicidade..."

Como já não podiam ficar tocando só Distração e Eu Não Sou Cachorro Não(sim, eles só tinham essas duas músicas no repertótio - na verdade "vida de cão é chato pra cachorro" - mas vamos dar uma melhorada!) e correr o risco de virar um Loser Manos dos anos 80, partem para a gravação de um compacto simples(os compactos eram discos de vinil só com duas músicas, pois nos anos 80, todo mundo vivia quebrado e mal tinha grana pra comprar um disco), produzido por Lulu Santos(aquele cara que vivia sendo imitado pelo Léo Jaime). Neste disco, eles gravam Pintura Íntima(música que falava da mania de Paula Toller de maquiar sua "perseguida" e Não Fui Eu, a famosa frase que cada um de nós pelo menos uma vez na vida disse em um elevador. O sucesso da perseguida, digo, da música de Paula Toller e seus asseclas, faz a "banda" gravar o segundo compacto, com as músicas Te Comer Eu Quero, de título autoexplicativo e o lado B Homem Com Uma Missão - Comer a Paula Toller. Este compacto bate(entendam como quiserem) recordes de vendas o que leva o grupo a gravar seu primeiro LP(entenda-se disco decente, com pelo menos dez músicas). Em 1984 sai Sou Espião, NÃOOOO!!!! Digo, Seu Espião, disco produzido por Liminha(isso, aquele cara que vive fazendo papel de otário nos programas do Gugu e do Silvio Santos). Mesmo não tendo a bunda como a da Carla Perez e da Scheila Carvalho, Paula Toller e seus capangas estouram(ai, ai, ai!) no Brasil inteiro. Mesmo com críticos xaropes dizendo que o Kid era "banda de um único verão", eles não se abalam e lançam o segundo LP, Educação Sentimental, provando que o som deles era ruim, mas mesmo assim, tinha vindo pra ficar. Finalmente, depois de quase cinco anos de "banda", finalmente um deles conseguiu o que tanto queria - Leoni traça a Paula Toller!!! Como ele já havia conseguido o que queria, sai da banda e monta os Heróis da Resistência.

Ao Vivo[editar]

Em 1986, eles lançam um disco ao vivo, gravado no Salão do Automóvel do Anhembi. Como a exposição de carros estava mais interessante do que o show do grupo, esse disco acaba não fazendo muito sucesso, pois o público debandou do show para ir ver o Salão. Essa "debandada" se repetiu nas lojas de discos.

Tomate[editar]

Não, não é aquele guitarrista babaca do programa do Jô Soares, é o nome do disco que o Kid Abelha e os Abóboras Selvagens lançaram em 1987. O nome do disco é uma referência às frutas e legumes atirados contra os integrantes do grupo, em seus últimos shows, pois não estavam em uma boa fase.

Encerrando a Década[editar]

O grupo se despede dos anos 80, lançando o quinto disco, Kidsgraça, disco onde os Paula e os "músicos" assumiam a falta de qualidade de seu som. Nesse ano Paula engravida(não, não foi de Herbert Vianna) e torna-se mãe de Gabriel, o Pensador, e tira licença-maternidade depois de oito meses de gestação.

Anos 90[editar]

Como "Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens" era um nome comprido demais, eles resolvem encurtar o nome do conjunto para "Kid Abelha", e lançam em 1990 a coletânea "Greatest Hits 80's". Em 91, sai o disco Tudo é Permitido, de agora em diante valia tudo para os integrantes restantes tentarem traçar a Paula Toller. Desse disco, sai o sucesso Grande Otelo, uma homenagem ao saudoso ator das chanchadas da Atlântida. Também fazem sucessos as regravções de Tim Maia, Não Vou Ficar(uma clara referência à reação do público durante os shows), Fuga nº 2(a nº1 não tinha dado certo) de Rita Lee e No Seu Lugar, onde Paula dá um recado aos meninos pra ficarem no seu lugar, pois depois das decepções com Leoni e Herbert, ela não iria dar pra mais ninguém.

Mascote da banda.

Em 1992, sai Iê Iê Iê, disco com influências da jovem guarda(acredita-se que nessa época eles tiveram influência dos Titãs), com o sucesso Eu Tive Um Sonho, com clip da música estrelado pelo são paulino Raí.

Em 1995, lançam Meio Desligado, disco com arranjos acústicos para sucessos antigos, onde os sucessos de ontem ganham acompanhamento de banjo, cavaquinho, pandeiro, violoncelo, gaita escocesa, xilofone e apito(SIM, ESSE DISCO FOI PRODUZIDO PELOS TITÃS).

Em 96 sai Meu Mundo Gira Em Torno de Você, cujo título original seria Meu Mundo Gira Em Torno de Tentar Comer a Paula Toller, mas como soaria explícito demais, eles desistiram da ideia. As gravações no estúdio improvisado na caça de George Israel em Teresópolis, dá ao disco um ar conceitual e é um sucesso de vendas, mas ainda assim, nem ele, nem o Bruno conseguiram comer a Paula. Desse disco, fazem sucesso Te Amo Pra Sempre(Vai Acreditando, Vai...), e Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda, Na Casinha de Sapé, em Nenhum Lugar Eu Consigo Comer Ela!!!, regravação de Hyldon, o primeiro namorado de Paula Toller.

Com inveja dos Paralamas do Sucesso, ou por pura mágoa de Paula com Herbert Vianna, não se sabe, o grupo lança uma coletânea em espanhol em 1997, seguido pela SUPER CRIATIVA ideia de lançar um disco de remixes.

Em 1998, lançam Autolove, disco que conta a época, que mais uma vez sem sucesso, os cabaços músicos Bruno Israel e George Fortunato, NÃO!!! Bruno Fortunatto e George Israel tentaram mais uma vez sem sucesso levar Paula a um Drive In. Na capa do disco, pode-se ver o luminoso do referido drive in em questão. Como a tentativa falhou, eles resolveram partir pro "auto-love" e assumiram de vez o cinco-contra-um.

Anos 2000[editar]

Coleção, é o nome do disco lançado em 2000, último pela WEA, os próximos seriam lançados pela Universal, basicamente um disco caça-níquel de covers. Em 2001, já na gravadora nova, lançam Surf, pois, cansados de chavecar a Paula sem sucesso, os rapazes resolveram ir pegar umas ondas enquanto todo mundo tirava onda com a cara deles. Com músicas como Eu Contra a Noite, uma homenagem ao apagão, 3 garotas na calçada (pois é, como não comiam ninguém, George e Bruno tiveram que recorrer às profissionais do sexo) e Solidão, Bom Dia(aqui é a Paula que tira sarro dos dois manés). Esta música também tem interpretação dúbia, para variar, podendo ser entendida como Eu (Cinco) Contra (um) a Noite devido ao mesmo motivo da primeira interpretação do nome da música, , sem a parte das "profissionais do sexo".

Acústico MTV[editar]

Como toda banda com mais de 20 anos de carreira, faltava fazer uma coisa que toda banda com mais de 20 anos de carreira famosa faz - se vender para a MTV. Lançam seu Acústico em 2003, "estouradaços", ai, como o próprio site do grupo diz. Duvida? Vai lá e vê, na seção "anos 2000", uahuahuah... Mas voltando ao assunto, gravam aquela mesma ladainha de sempre, com parcerias de Lenine e Edgard Scandurra, e fazem muito sucesso, regravam no espetáculo Quero Te Encontrar de Claudinho e Buchecha, "coincidentemente" logo após a morte de Claudinho(isso ainda tá me cheirando conspiração pra não ter que pagar direitos autorais). Vendem 1.000.000 (um milho bem grande), fazem muito sucesso, mas o que todos queriam, ninguém consegue, ter o "Acústico" da Paula Toller, ela disse que nem pensar, pois no "Acústico" dói muito.

2005[editar]

O grupo lança seu, nem sei mais que número, disco, Pega Leve, Senão Vai Ter Que Dar Uma Pegadinha Aqui, com aquela mesma merda que a gente tá desacostumado a ouvir, e os otários, digo, fãs continuam comprando.

Resumo da Carreira[editar]

Estúdio onde eram realizados os primeiros ensaios da banda.

30 anos de sucesso, shows e discos pelo Brasil e pelo mundo, mas ainda assim, até hoje nem o Bruno, nem o George conseguiram comer a Paula Toller.

Bunda Hoje, digo, Banda Hoje[editar]

Paula Toller - Vocalista

George Israel - Saxofone, guitarra, violão, cavaquinho, flauta transversal e reco-reco

Bruno Fortunato - Guitarra, violão

Discografia[editar]

  • Seu Espião (1984)
  • Educação Sentimental (1985)
  • Kid Abelha Ao Vivo (1986)
  • Tomate (1987)
  • Kid (1989)
  • Greatest Hits 80's (1990) (coletânea)
  • Tudo é Permitido(obaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!) (1991)
  • Iê Iê Iê (1992)
  • Meio Desligado (1995)
  • Meu Mundo Gira em Torno de Você (1996)
  • Remix(é lógico, queremos vender) (1997)
  • Autolove (1998)
  • Coleção (2000)
  • Surf (2001)
  • Acústico MTV (2002)
  • Pega Leve, Senão Vai Ter Que Dar Uma Pegadinha Aqui (2005)
  • Um tributo ao Calypso (2007)

Maiores Sucessos[editar]

  • Disfunção (1982)
  • Borrada Íntima (1983)
  • Te Comer Eu Quero (1984)
  • Nada Tanto Assado (1984)
  • Fixação(época que o grupo foi "fixado" na polícia por cheiramento de gatinhos) (1984)
  • Lágrimas e Chivas(parceria com Zeca Pagodinho) (1985)
  • Educação Sentimental (1985)
  • Educação sentimental II - A Missão (1985)
  • Educação sentimental III - O Confronto Final (1985)
  • Educação sentimental IV - Reloaded (1985)
  • Educação sentimental V - Ressurection (1985)
  • Garotos (1985)
  • Garotas (1985)
  • Rapazes Alegres (1985)
  • A Fórmula do Amor(parceria com Lulu Santos Cover, digo Léo Jaime) (1985)
  • Não Vai Dar Nada Pra Mim? (1986)
  • Tomate (1987)
  • Depois de amanhã é 24 - uhuuuuul!!! (1987)
  • Grand' Motel (1991)
  • No Seu Lugar (1991)
  • Eu Tive um Pesadelo (1993)
  • Te Amo Pra Sempre(Vai Acreditando, Vai...) (1996)
  • Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda, Na Casinha de Sapé, em Nenhum Lugar Eu Consigo Comer Ela!!! (1996) (regravação de Hyldon)
  • Eu Só Penso em Te Comer
  • Deve ser amor - Foram tantos que ela não sabe mais (2000)
  • Pega pica (2005)
  • Meu amor me deixou na lua - Música solo que a Paula Toller fez, Hebert falando em primeira pessoa sobre o pé na bunda de anos (2007)