Instituto de Ciências Biológicas da UFMG

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.

Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png No-no-nós so-so-somos da o-o-oposição. Cquote2.png
Membro da chapa Para Além dos Muros em campanha à reeleição.
Cquote1.png Sinto saudades daquele pântano. Cquote2.png
Monstro do Pântano sobre o ICB
Cquote1.png Aqui ninguém me acha! Cquote2.png
Wally de Onde está Wally sobre o ICB
Cquote1.png Eu tenho medo! Cquote2.png
Regina Duarte sobre o ICB
Cquote1.png Dude, we are lost! Cquote2.png
Hurley de Lost sobre o ICB
Cquote1.png Gostaria de tê-lo no meu currículo. Cquote2.png
Oscar Niemeyer sobre o ICB
Cquote1.png Aqui seu Currículo não morde, ele Lattes! Cquote2.png
D.A. da Biologia
Cquote1.png Daqui a 2 anos eu saio desse buraco! Cquote2.png
Calouros de medicina sobre o ICB
Cquote1.png Ainda bem que tem a faculdade de medicina! Cquote2.png
Calouros de medicina em suas conversas paralelas

Instituto de Ciências Biológicas da UFMG é uma unidade da universidade que sedia as pesquisas e aulas nas áreas da biologia. Conhecido não só pela sua grande contribuição científica, laureada com muitos IgNóbeis, é também sempre lembrado pela arrojada arquitetura do seu prédio.

Tabela de conteúdo

[editar] História

No final da década de 60 quando ainda se pleiteava a criação de um instituto de biologia independente, a UFMG se viu com um problema nas mãos: o eminente professor Albieri havia criado acidentalmente em seu laboratório uma temível e odiosa criatura: o Minotauro.

O reitor Minos convocou urgentemente seu arquiteto de confiança, Dédalo, e pediu-lhe que projetasse um prédio para aprisionar a besta, de forma que mesmo que ela conseguisse escapar de sua cela não encontrasse a saída do edifício. Dédalo projetou então um engenhoso e ousado prédio com muitos e longos corredores interconectados. A obra de Dédalo ficaria conhecida mais tarde pelo nome de labirinto.

O terreno escolhido não poderia ser outro senão o não-convidativo pântano nas imediações da reitoria. O problema é que naquele local vivia o famigerado Monstro do Pântano, que não ficou nada contente com a notícia de que seria desalojado. O reitor, exímio negociador, ofereceu-lhe a oportunidade de trabalhar assalariadamente nas obras além de uma passagem para o Pantanal, garantindo-lhe assim, uma velhice tranquila. Todavia, o vaidoso monstro exigiu que fosse contratado também como paisagista. O reitor não viu maiores problemas em aceitar a sua condição.

ICB em obras
O trabalho do extraordinário Monstro do Pântano equivalia ao de dezenas de operários, o que fez com que as obras caminhassem rapidamente. Assim que ficaram prontas, porém, uma daquelas ironias que só o destino sabe fazer, aconteceu. O Minotauro, tal qual a ovelha Dolly, apresentava problemas de envelhecimento precoce e faleceu inesperadamente, inutilizando o prédio novo. Todavia, em uma brilhante jogada o reitor matou dois coelhos com uma cajadada só: deu uma utilidade ao presídio prédio novo convidando Albieri para ali fundar o requesitado Instituto de Ciências Biológicas.

Devido ao propósito original do edíficio, os alunos e funcionários se viam constantemente perdidos e a confecção de mapas para serem afixados nos corredores foi solicitada. Todavia o resultado não foi satisfatório. Diz-se que uma mulher ficou encarregada pelo serviço, o que explica os mapas espelhados e invertidos, e que hoje acabam por desorientar ainda mais aqueles que os consultam.

O fracasso dos mapas não desanimou a comunidade universitária que desenvolveu um inusitado método de localização pela olfação. Apesar de, no geral, o instituto ter cheiro de buceta, cada departamento ganhou o seu cheiro específico tornando possível que as pessoas encontrassem os caminhos e se localizassem usando apenas o próprio nariz. A despeito do brilhante sistema, os projetistas só não foram muito felizes na escolha dos odores. Verdadeiramente alguns departamentos se confundem na localização olfativa, pois em muitos predomina o cheiro de ódio mortal entre alguns membros. Tal aroma impediu que uma versão do BBB fosse realizada com professores do ICB, pois a casa não poderia ter facas. Cheiro de urina de rato de biotério, formol, naftalina e ervas aromáticas também pode ser percebido pelos corredores.

O trabalho de péssimo gosto do Monstro do Pântano como paisagista pode ser visto até os dias de hoje: a vida verde brota por todo o ICB em todas as suas formas, invadindo janelas, calçadas e pendendo de todos os lados.

[editar] Filmografia

Devido as suas peculiares instalações, o ICB tem despertado o interesse de produtores cinematográficos e a maior prova disto é o recente sucesso Labirinto do Fauno, ganhador de três Oscars, e que teve várias cenas gravadas no ICB.

De acordo com a atual direção do Instituto um acordo já foi acertado com a produtora de Jogos Mortais, e o próximo filme da série será rodado inteiramente no ICB. Uma nova versão do filme CUBO também já está em estudo e poucas adaptações precisam ser feitas.

[editar] Buteco da Bio

Rolling Stones no Buteco da Bio em 2009
O Buteco da Bio é um tradicional evento realizado às sextas-feiras, no qual o DA da Biologia cede suas instalações para abrigar um grande bar onde várias go-go-girls animam o local. Grandes bandas costumam ir prestigiar o Buteco da Biologia e o exemplo mais recente disto foi a reunião do Led Zeppelin ocorrida em 2009 exclusivamente no Bioteco.

Alguns dos frequentadores ilustres do Buteco da Biologia: Jeremias, Fernando Vanucci, Lula, Boris Yeltsin, Vanusa.

[editar] Fatos estranhos que já ocorreram no ICB em passado remoto ou recente

- Fuga de escorpiões do Departamento de Bioquímica

- Contratação de Galinhas D'Angola para combater os escorpiões fugitivos

- Desaparecimento gradual das Galinhas D'Angola pouco antes de finais de semana

- Calouros de Matemática procurando as aulas de Estatística no R5 (bloco R - quinto andar)

- Lançamento de água-da-anatomia em saquinhos nos calouros a partir do quarto andar (esporte de veteranos)


Pão-de-queijo... hum... bão dimais...
Minas
Uai sô, ocê num intendeu?
Esse artigo é de humor mineiro uai! E foi feito por arguém que tava comeno um queijim... Pra entender, só comeno um pãozim de queijim com um copo de leitche! Ooooô trem baum de mais da conta, sô!


Bandeira do Brasil
v d e h
Universidades federais do Brasil

Acre: UFAC · UNIBLAH · UFTSMURF | Alagoas: UFAL | Amapá: UNIFAP | Amazonas: UFAM | Bahia: UFBA · UFRB | Ceará: UFC | Distrito Federal: UnB | Espírito Santo: UFES | Goiás: UFG | Maranhão: UFMA | Mato Grosso: UFMT | Mato Grosso do Sul: UFGD · UFB · UFMS · UFPAN | Minas Gerais: UNIFAL · UNIFEI · UFJF · UFLA · UFMG · UFOP · UFSJ · UFU · UFV · UFTM · UFVJM | Pará: UFPA · UFRA · UFOPA | Paraíba: UFPB · UFCG | Paraná: UFPR · UTFPR | Pernambuco: UFPE · UNIVASF · UFRPE | Piauí: UFPI | Rio de Janeiro: UNIRIO · UFRJ · UFF · UFRRJ · IME | Rio Grande do Norte: UFRN · UFERSA | Rio Grande do Sul: · UFCSPA ·UFRGS · FURG · UNIPAMPA · UFPel · UFSM | Rondônia: UNIR | Roraima: UFRR | Santa Catarina: UFSC | São Paulo: UFSCar · UNIFESP · UFABC · ITA | Sergipe: UFS | Tocantins: UFT

v d e h
Universidades, Faculdades e Instituições de Escravização em geral
















Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces
Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas