Gladiador (filme)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gladiador
Gladiator
O Porrador Romano (BR)
Gladiador (PT)
The Radiator.jpg
Poster do filme original
Bandeira dos Estados Unidos Estados Unidos
Bandeira do Reino Unido Reino Unido
2000 • meio amarelado • 155 min
(faça xixi antes de começar a assistir)
Direção Ridley Scott quando ainda era bom no que fazia
Elenco Russell Crowe como Gladiador
Joaquin Phoenix como imperador baitola
Connie Nielsen como puta aleatória
Oliver Reed (morreu durante as filmagens)
Richard Harris como Alvo Dumbledore
Gênero Filme de Russell Crowe
Distribuição Quase-Disney
Idioma australianês


Cquote1.png É assim que meu fusca anda! Cquote2.png
Germânico tentando intimidar legiões romanas
Cquote1.png Meu nome é Maximus Decimus Meridius, comandante do exército do norte, general das legiões Fenix, servo fiel do único verdadeiro imperador Marco Aurélio, pai de um filho assassinado, marido de uma esposa assassinada... e eu terei a minha vingança... nesta vida ou outra Cquote2.png
Maximus Decimus Meridius, comandante do exército do norte, general das legiões Fenix, servo fiel do único verdadeiro imperador Marco Aurélio, pai de um filho assassinado, marido de uma esposa assassinada... que terá a sua vingança... nesta vida ou outra, quando é perguntado sobre seu nome

Gladiador é um clássico filme de porrada ambientado na Roma antiga de 1870 d.C., muito criticado por ter menos sangue que Spartacus, sendo um filme que foca-se mais na história, embora nos traga uma veracidade histórica tão confiável quanto um político brasileiro.

Produção[editar]

A ideia para a criação desse filme vem com o escritor e escultor italiano David Franzoni que em 1999 viu seus discípulos escultores se voltaram contra ele, o colocarem em escravidão e matarem sua esposa e filhos, tudo para assumirem a liderança da escola onde Franzoni lecionava. Traumatizado, ele decidiu levar este roteiro para a Universal Pictures e lá aproximou-se de seus amigos John Logan (do X-Men) e William Nicholson (bispo de Gloucester) que se prontificaram a ajudar Franzoni a adaptar aquela história para um roteiro de cinema, e foi então que falar da Roma Antiga foi o mais apropriado.

O filme foi então produzido com muito esmero, tanto que para filmar a cena inicial do confronto entre romanos e alemães, 30.000 torcedores foram contratados na saída de San Siro depois de um Milan x Inter. As cenas de lutas e estripamentos são, portanto, todas verdadeiras sem efeitos especiais, dando todo um aspecto mais fidedigno ao filme.

Enredo[editar]

Neste filme acompanhamos a vida de um soldado romano barbudo e australiano neozelandês chamado Maximus Decimus Meridius, comandante do exército do norte, general das legiões Fenix, servo fiel do único verdadeiro imperador Marco Aurélio, pai de um filho assassinado, marido de uma esposa assassinada... que terá a sua vingança... nesta vida ou outra. A primeira cena já é um clássico, quando vemos Maximus Decimus Meridius, comandante do exército do norte...... ok, já entendemos... quandov emos Maximus em seu auge comandando os romanos para derrotar uns meros bárbaros que sabem andar de Fusca. Para derrotar um punhado de inimigos desprezíveis, os romanos destroem uma floresta inteira com catapultas e flechas flamejantes e fingem que possuem alguma tática superior quando na verdade a única coisa que fazem é correr de encontro aos inimigos gritando de maneira obscena.

Reconhecendo seus talentos por vencer uma batalha decisiva sem utilizar-se de nenhuma tática, o então imperador romano Alvo Dumbledore, no auge de sua sapiência, decide informar que seu sucessor do trono romano será o general Maximus, mas só esquece de criar algum testamento, alguma carta, avisar para as pessoas ou algo do tipo, então seu filho legítimo Commodus o assassina e fica com o trono para si.

Claramente a ideia do filme é ridicularizar os romanos, evidenciando como eram todos burros pra caralho, porque as burradas não acabam por aí. Maximus fica para ser executado por dois guardas imbecis que caem no truque mais manjado do mundo, tática velha até na época de Roma, de "olhe! atrás de você!" e Maximus consegue escapar de sua execução.

Clássica cena na qual Maximus e o motorista de ônibus de turistas, brigam com uma multidão furiosa de aposentados estressados.

Foragido e impossibilitado de assumir o trono ou regressar para as legiões, Maximus se torna um andarilho fugitivo, até que um dia por engano, ao ser confundido como guia turístico de um grupo de pensionistas que ia para Roma, assume esta nova profissão. Inicialmente Maximus se dá bem, mas quando ele chega ao Panteão romano, por não entender nada de turismo, Maximus acaba cometendo uma inúmeras gafes o que o força a escapar de uma multidão de aposentados furiosos. Durante esta fuga, por causa de sua barba masculina, Maximus é contratado para trabalhar no Grande Coliseu para servir de atração principal, um lugar que ele passa a lutar contra tigres, soldados treinados, bigas, palhaços e aposentados furiosos, tendo ajuda apenas de Digimon Hassum, um africano que sofre bullying devido ao nome ridículo e acaba se tornando seu parça.

Na grande arena romana, todavia, Maximus vai conquistando vitórias e fama. Até que finalmente ele desafia o príncipe Commodus para uma luta até a morte, uma luta em que Maximus, um cara que matou mil germânicos e outras centenas de gladiadores treinados, tem extrema dificuldade porque está dopado. Maximus mata o imperador e consegue a sua vingança, a vingança que tanto menciona sem parar sempre que perguntam seu nome, mas ele morre e vai para uma plantação de trigo.

Recepção[editar]

O filme provou ser um dos maiores sucessos do seu ano de cinema. Em 2000 arrecadou internacionalmente cerca de US$ 457,6 milhões, perdendo apenas para As Fantásticas Aventuras de Peter Rabbit. Tornou-se, todavia, um filme cult nerd, tal qual Coração Valente, porque parece que nerds adoram filme que sejam pouco acurados e façam historiadores infartarem com quantidades abusivas de imprecisões.