Força Expedicionária Brasileira

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Tropadele.gif Este artigo é protegido pelo BOPE!

Este artigo é da Tropa de Elite e faz coisas que assustam o Satanás. É bom você não ser traficante, membro do CV, playboyzinho maconheiro ou da tropa dos corruptos, ou o 07 vai pegar a vassoura!

TimeBope.jpg


Cquote1.png Brasil?! Aquela merda eu tomo com um telefonema Cquote2.png
Hitler sobre Brasil
Cquote1.png Não precisamos nos preocupar, nem exército eles tem Cquote2.png
Mussolini sobre declaração de guerra do Brasil
Cquote1.png É mais facil uma cobra fumar que o Brasil entrar na guerra Cquote2.png
Getúlio Vargas em 1940 sobre Brasil e a Segunda Guerra Mundial
Cquote1.png Nossa vitória deve estar próxima, os aliados estão raspando o fundo do barril. Cquote2.png
Hitler sobre FEB
Cquote1.png Na União Soviética, o cigarro fuma a cobra Cquote2.png
Reversal russa sobre Brasil na guerra
Cquote1.png Quer férias e aventuras gratuitas na Itália? Aliste-se já! Cquote2.png
Propaganda de alistamento
Cquote1.png Por mais terras que eu percorra tomara Deus que eu morra sem que volte para lá. Cquote2.png
Hino dos Pracinhas após uma temporada na Itália sobre Brasil

Bolsa delícia.jpg Passa a certeira! Perdeu, preibói!

Oxe, venha cá, este artigo da porra vem do Brasil! Só fala de futebol, come feijoada, exporta diplomatas, puxa o saco dos EUA, paga imposto pra caralho e põe a culpa no governo pela dificuldade de atendimento médico.


A FEB, sigla para Força Expedicionária Brasileira ou Escola Unida de Samba Unidos na Porrada sem dó para os íntimos, foi a pequena, bem pequena, põe pequena nisso, participação da República dos Bananas na Segunda Grande Merda Mundial.


Brasil na Guerra[editar]

"Scimmie maledette!!! Scopato il nostro piano." Mussolini se queixando dos brasileiros, enquanto areja a mão após bater um "handjob" para seu protetor, o Führer

Na verdade, tanto as zelite quanto os militares brazucas 'tavam é torcendo pela vitória do emo louco Hitler e seu namorado Mussa mas nem tudo na vida é como se quer, depois de Bêbaço perder umas rodadas de poquer para o presidente Americano Frank Zappa, o crítico de cinema e dublê de ditador Leon Cakoff, vulgo Getúlio Vargas assinou umas promissórias dando como garantia de pagamento de jogo a promessa de que entraria na briga ao lado de qualquer 'Hermano' das Américas que tivesse a Bunda passada na mão de estranhos europeus sem autorização. Na verdade ele pensava em fazer isso só no papel mas depois de Pearl Harbor a coisa ficou meio fora de controle.

Começo[editar]

Em represália ao cumprimento de tal aposta, submarinos alemães e italianos passaram a afundar as embarcações brasileiras que contrabandeavam o que poderíamos chamar de ..."tropas expedicionárias pioneiras" (gigolôs, putas e travestis) e conteúdo pornográfico destinados ao esforço de guerra imprescindível de elevar o moral das tropas aliadas, principalmente dos EUA, Inglaterra e URSS. Tal ato deixou os Brasileiros seriamente irritados exigindo que o governo tomasse satisfações com o emo Adofo e seu amázio carcamano. Só em Agosto de 1942, depois de muita insistência isso foi feito.

Churchill muito bobão, achando que os Bananas tinham entrado na guerra para valer ofereceu apoio material, treinamento e transporte para que os Brazucas começassem a agir imediatamente ajudando Ingleses e Americanos no Norte da África já que as toscas forças armadas brasileiras (como sempre) não estavam preparadas para a guerra (que isso não é com elas oras bolas!). Getulio desconversou e disse que ia pensar no caso ...o que deixou bem claro aos Aliados que o Brasil realmente era uma República de Bananas e com ele não se podia contar de fato!

Mas o povo que não é as zelite fez o que pôde e com a ajuda do cangaceiro colarinho branco cabra macho das Paraíba Assis Chateaubriand se chegou aos Americanos e já iam com a ajuda dos Hermanos de toda América LatRina formando uma força expedicionária internacional quando Seo Getulio recebeu um chega para lá dos outros ditadores da região para dar um basta naquela bagunça. Antes que a merda fedesse mais, Getulio assinou no papel (que é de onde ele e as zelite esperavam que a FEB não saísse) a criação da FEB. Óbvio que não era à sério, era só para dar um tempo e ver se dava uma enrolada esperando a guerra acabar, já que não havia a menor intenção das elites bananeiras de sequer repetir o papel de figurante no fundo do cenário exercido no primeiro filme que tinha dado origem à série. Como a guerra não acabava, Getúlio, vulgo Gugu ou Seu Gegê para os íntimos foi forçado a formar um exército de Brancaleone as pressas (já que o exército mesmo para variar, também não 'tava afim de pegar no batente) convocando a torto e a direito principalmente o zé povinho de um lado, que é sempre pau para toda obra e excelente bucha de canhão e do outro, os estudantes que tinham pedido ação em vez de conversa, para verem o que é bom para tosse, pensava ele.

Itália[editar]

Cobra fumante momentos antes de morrer de câncer de pulmão.

Assim em Julho de 1944 foram todos mandados numa excursão de ida sem volta ao front Italiano em barcos Americanos porque ...advinhem, a marinha brazuca que não tinha afundado um único submarino inimigo em toda a guerra, deixando essa tarefa "besta" para os Americanos, não estava (como sempre) preparada também para esta tarefa. Chegando lá, diante do despreparo dos Sul-Americanos, os Norte-Americanos chegaram em pensar mandar todo aquele povo de volta mas diante da falta crônica de pessoal (afinal ao contrário dos brasileiros eles estavam na guerra para valer), viram que era mais barato empregar todo aquele pessoal em algo útil. A princípio os brasileiros foram usados na retaguarda (ui), apenas em serviços onde não atrapalhassem, principalmente depois dos americanos em julho de 1944, terem ficados estarrecidos ao, "por acaso" terem ouvido a seguinte conversa telefônica entre 2 generais brasileiros, o general ZC (Zenóbio dá as Costas) na Itália, e o general GM (Góis, o que "Monta") no Rio:

" General ZC: Eaê fiadaPuuuuta
General GM: Eaê viadiiiiin
General ZC: Tudo firmeeeza ?
General GM: Tá querendo sabê purkê, tá com saudades di pegá na firmeza, é boneca?
General ZC: Huahuahuahuahua
General GM: Eaê rapá, soube que pelo jeito vocês foram só pra curtir um passeio digrátis aí na Itália
General ZC: Kkkkkk Pois é mané, você acredita que esses alemão fiusdaputa tentaram matar o próprio líder outro dia? É brincadeira...
General GM: Ééééé... desse jeito a guerra acaba sem a nossa gloriosa participação
General ZC: Tô pensando como é que isto vai ficar no meu CU_rriculum... Tsc E no que é que a gente vai dizer nos livros de história... putaquepariu!!!
General GM: Bom, o teu CU_rriculum tá acostumado com coisa muito mais pesada né Huahuahuahuahua Quanto aos livros de história, parece que tú nasceu ontem ô mané. A gente faz igual fez em relação a merda anterior de 1918, tenta apagar, ou joga pra nota beeeem de roda pé em letra pra lá de miúda
General ZC: Ou...
General GM: Ou?
General ZC: Que tal essa 'Em meados de 1944, milhões de russos, americanos, britânicos e outros gringos não tinham sido suficientes para dobrar a teimosia Nazi-Fascista. Foi somente com a chegada de alguns milhares, dos Todo_Poderosos Fodões do Brasil, que a parada parou. O simples anúncio de sua chegada ao front pra colocar ordem na casa, foi suficiente pros alemães finamente arregarem, se borrando todos, a ponto de mandarem o próprio líder pro espaço, pois este se recusava a ver a realidade dos fatos de que, com os brasucas em campo, o jogo já podia ser considerado perdido.'
General GM: Huahuahuahuahuahua putaquepariu Essa foi foda, me mijei todo aqui caralho, que merda. "

Porém, Hitler não morreu devido ao atentado (vaso ruim é difííííícil de quebrar) e, passadas algumas semanas, como o bicho no front italiano (apesar deste não ser nenhuma Frente Russa) começou a pegar além do esperado; os Americanos viram que não havia outro jeito a não ser armar, treinar e enviar para a frente de batalha aquele bando que parecia vindo do inferno, rezando para que os Alemães não mandassem todos aqueles infelizes pro inferno propriamente dito.

Surpreendemente(??), introduzidos (ui) aos poucos na frente de batalha, os bananas demonstraram serem típicos seres humanos como quaisquer outros, tanto prontos a matar, esfolar, esquartejar o inimigo como, ao praticar nos fins-de-semana em solo Italiano, uma típica atividade brasileira, que é fazer literalmente churrasco do inimigo; sem querer, involuntariamente ensinaram um pouquinho de história brasileira na prática aos "civilizados" e "'gnorantes" habitantes do 1ºmundo, fossem aliados ou inimigos; demonstrando assim serem legítimos herdeiros da tradição Brasileira do Cacique Cunhambebe e de gente finíssima como Lampião. Os comandantes Brasileiros apesar nem de longe serem nenhum Caxias também não pagaram (com ajuda dos Aliados e das circunstâncias evidentemente) nenhum mico colossal. Em suma, os Brasileiros que não eram muitos, nem fizeram o pouco que alguns anti-gorilas radicais de um lado e fãs da filosofia do emo Adolfo de outro gostam de espalhar, nem foram tudo aquilo que alguns Bananas exaltados à la Galvão Bueno insistem tresloucadamente em afirmar. Deram conta do recado, ponto e olhe lá.

Fim da guerra[editar]

Ao fim da guerra, os soldados brasileiros viram que bichos fofinhos eram os emos, acabaram por trazer muitos dos mesmos ao Brasil, aonde aqueles que escaparam do cativeiro ou abandonados por seus donos, acabaram por cruzar com reaças nativos, donde surgiu uma raça híbrida de comentaristas de portais da Internet.

Visando conservar as práticas de guerra aprendidas com a FEB, o governo brasileiro fundou a FEBem (hoje Fundação Casa), instituição incumbida de ensinar a crianç menores de idad jovens sonhadores tais aprendizados, estimulando-os a praticá-los em nossa sociedade, mantendo viva assim uma importante parte de nossa história.

Ver também[editar]

Getúlio.jpg
História do Brasil: Estado Novo (1930 - 1945)

Eventos, coisas e tendências que seu avô não acompanhou porque não queria ir para a cadeia

Revolução de 1930Revolução Constitucionalista de 1932Força Expedicionária BrasileiraIntegralismoTenentismo


Presidentes (só tem um, e quem reclamar vai pro pau)
Getúlio Vargas