Des Blood

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Esta página se adequa à Nova Política de Conteúdo Sexual.
Conteúdo impróprio para menores de 18 anos! Tirem as crianças da sala! Este artigo tem conteúdo impróprio para menores!
Este artigo pode conter pornografia pesada ou leve. De preferência, leia-o de olhos fechados...

Se ele estiver cometendo uma infração à Política de Conteúdo Sexual, por favor, reporte à moderação.


10 Sangue
Dbvr.jpg
Perdeu, preibói, perdeu!
Gênero Eroge
Desenvolvedor Illusion Soft
Publicador Illusion Soft
Plataforma de origem Windows
Primeiro lançamento Des Blood 1 (1997)
Último lançamento Des Blood VR (2003)

Des Blood é um antigo jogo responsável por causar muitos calos e pelos nas mãos de seus jogadores. Aliás, foi o primeiro lançamento da então novata softhouse pervertida Illusion Soft, que segue na ativa até hoje.

História[editar]

O poder de rebolar.

O ano é 2156. O futuro chegou e o planeta está uma merda, ainda que o jogo mostre somente Tóquio. Nas ruas, só se vê brigas de gangues, assassinatos, estupros e clones humanos malvados chamados de replicantes, liderados pelo furioso Wander Wildner, que serviu de matriz para a clonagem.

Seguindo aquela sábia lei de Murphy de que nada é tão ruim que não possa ficar pior, um meteorito cai no oceano e causa um tsunami, mas como os japoneses já estão acostumados com isso, nem dão bola. O que realmente chama atenção é que dentro do meteorito havia uma alienígena gostosa que é despertada pelos cientistas burros do jogo e agora quer matar toda a população terrestre.

Jogabilidade[editar]

O jogador controla um policial chamado Tatsuya, que está sempre acompanhado de sua parceira irritante Kaoru. Obviamente, o objetivo é derrotar Hotaru, a alien do meteorito, e salvar todo mundo. Para isso, basta ser bom de mira e atirar nos inimigos que aparecem na tela para matá-los. Sim, Des Blood é um game de tiro.

É aí que vem a parte diferente que transforma a bagaça em hentai: como bônus por sua boa performance como jogador, são liberadas cenas de sexo com gráficos de anime em que se pode escolher a posição sexual.

Personagens[editar]

Sucesso de vendas! (ou não)

Jogos[editar]

Um combate disputado de Des Blood.
  • Des Blood 1 - O primeirão. Quase nem tem sexo, mas ainda assim tem, o que o destacou em meio aos mais de 8000 jogos de tiro existentes na época e garantiu uma boa vendagem.
  • Des Blood 2 - A protagonista agora é mulher e a jogabilidade é em terceira pessoa. O esquema para liberar as cenas de sexo continua igual, mas com opção de adicionar brinquedos eróticos e ver a personagem "brincando" sozinha.
  • Des Blood 3 - Mesmo podendo escolher entre duas personagens jogáveis, esse jogo é considerado o pior da franquia, pois as cenas sexuais não têm nada de interativiade.
  • Des Blood Racing - Tentativa escrota de juntar as personagens dos jogos anteriores em um game de corrida. Óbvio que não deu certo.
  • Des Blood 4 ~Lost Alone~ - Finalmente, uma sequência que agradou aos punheteiros. Protagonizado por uma marciana radicada terráquea (!), agora as cenas sexuais são totalmente interativas e liberais, porém menos frequentes.
  • Des Blood VR - É praticamente um remake do original, com melhorias nos gráficos e um mini-jogo especial de bônus que consiste em seduzir e sodomizar uma puta gostosa. VR é uma sigla para Vadias Rampeiras.